Sugestões para pesquisas etnográficas entre os índios do Brasil (Nimuendajú 1946)

[36]

Sugestões para pesquisas etnográficas entre os índios do Brasil


CURT NIMUENDAJÚ †

O presente trabalho póstumo, a que damos o título "Sugestões para pesquisas etnográficas entre os índios do Brasil", resultou das experiências adquiridas em longa vida de explorador. Durante a sua estadia no Rio de Janeiro, em 1943, Nimuendajú deu algumas aulas improvisadas ao snr. Harald Schultz, servidor do Serviço de Proteção aos Índios e, atualmente, estudante de Etnologia Brasileira na Escola Livre de Sociologia e Política de São Paulo. O resumo dessas aulas, do qual tiramos as seguintes notas, foi redigido pelo discípulo e revisto pelo mestre.

A tradução do manuscrito alemão é de Egon Schaden.

H. B.

RECOMENDAÇÕES GERAIS

  1. Indagar e tomar nota não só da presença, mas também da ausência dos diferentes traços da cultura material e não-material.
  2. Anotar imediatamente os informes colhidos e as observações feitas, sem preocupação de sistematizar. Mais tarde, coordena-se o material com auxilio de traços a lápis de côr.
  3. O registo do vocabulário fica para o fim, pois cumpre familiarizar-se primeiro com a fonética.
  4. Também as perguntas sôbre religião deixam-se para quando já houver bastante confiança da parte dos índios.
  5. Fazer desenhar o mais possível. Notando-se que alguém tenha jeito, pedir que faça trabalhos de entalhe, ou modelação em argila ou cera.

[37]

PESCA

  1. Colecionar as plantas com que envenenam a água, provavelmente várias espécies de timbós; tirar fotografias.
  2. Covos e diferentes modos de pegar peixes, por meio de barragens etc.
  3. O anzol é importado pelos brancos? Como era anteriormente? (Osso de morcego; pedacinhos de pau amarrados a modo de gancho, ou reunidos em forma de âncora.
  4. Flechavam-se os peixes após lançar isca à água? Como são as flechas?
  5. Outros métodos de pesca.
  6. A forma primitiva do arpão, caso seja usado.
  7. Enfiam-se os peixes em cordéis especiais?
  8. Fazem uso de alguma rede para pescar?

CAÇA

  1. Diferentes tipos de flechas para as várias espécies de caça? Verificar, sobretudo, se usam flechas de ponta rombuda para caçar passarinhos.
  2. Armadilhas. Fojos. Mundéus. (Mundéus pesados, para matar onças, e outros mais leves, para matar ratos?) Armadilhas de varas elásticas (podem ser tão grandes que sirvam para pegar antas), outros tipos de armadilhas. — Laços. Possivelmente, vários tipos de armadilhas de mola, com laço. Usa-se arapuca? Para que? É elemento originário da cultura tribal?
  3. Magia da caça. Preceitos observados antes da caça. É permitido, por exemplo, ter relações sexuais? Canções de caça. Os animas de caça têm um demônio como "senhor", a quem é preciso propiciar? Ou até vários? Outras crenças semelhantes! Daí resulta alguma proibição?
  4. O caçador come do animal que matou? Se não, a quem se entrega a caça? A presa tem de ser submetida a exorcismo pelo médico-feiticeiro?
  5. Guardam-se ossos da presa a titulo de troféu?
  6. Emprêgo de visgo na caça de aves?
  7. Fazem-se caçadas coletivas? Quem são os companheiros? A caçada é realizada por uma associação, um clã, uma metade?

[38]

COLETA

  1. As mulheres (sòmente mulheres?) ainda fazem excursões para recolher frutos?
  2. Há, na mata, raízes comestíveis, que se desenterram?

LAVOURA

  1. Verificar se possuíam plantas úteis desconhecidas entre os civilizados.
  2. Relação completa de todos os vegetais originalmente cultivados e das plantas que vieram a conhecer mais tarde.
  3. Donde vem o milho? Donde o fumo, a mandioca? Que mitos há sôbre o assunto? Origem das plantas úteis em geral.
  4. O primitivo machado de pedra, a sua forma, como era o encabamento; caso haja ainda quem o saiba fazer, pedir demonstração, para verificar se o encabamento era por amarração ou por embutimento.
  5. Que utensílios empregavam-se antigamente para fazer o roçado?
  6. Quem ajudava a quem no trabalho da roça?
  7. Quem planta? Se é a mulher, porquê? Para que as plantas cresçam melhor?
  8. Sementes e mudas são submetidas prèviamente a cerimônias mágicas? Oferecidas, p. ex., ao sol ou à lua?
  9. Existe qualquer cerimônica para fomentar o crescimento da planta? Orações dirigidas ao sol ou à lua?
  10. A permissão para a colheita deve ser dada formalmente?
  11. É permitido à mulher plantar durante a menstruação ou a gravidez? Há outras práticas, restrições ou crenças sôbre o assunto?

CASA, COZINHA, PREPARO DA COMIDA ETC.

  1. Investigar se o tipo de de construção das casas atuais é o mesmo de outrora. Como eram as construções antigas? (Uma cabana retangular de duas águas é sempre suspeita.)
  2. Caso o tipo antigo tenha caído em desuso, indagar se é, contudo, empregado ainda na caça ou na roça.

[39]

#3 . Se ainda esl{I em voga, lazer uma planl
111ndcirameoto de telhado, e indicar se há um esp"
mestra. Encontrando-se uma construção se.m vlga mçt\. ·
coGCluir dai, com cerlua, que é de lipo original. ~
4. Observar se o Coso da cozinha é aceso dentrq o.1tctl
casa.. Há um alpendre especial para a cozinha? ..,.,
5. Onde fazem as suas necessidades. Com que se limpa=
sabugo de milho, um pauzinho? Com qual das mãos? (P-0{
da mão com que so i:omot) '"'T . ' "11
G. Anotar se as mullrcres comem em companhia dos .hOJ'.ll '
7. Se homens preparam comida, e de quo\Cspécio. Em gêt'álôii'
o• homens só querem assar. não cozinhar)…• ~ti

[44]

LEVANTAMENTO LINGÜÍSTICO

  1. Determinar as formas pronominais. Tomemos como exemplo o verbo morder: eu mordo (fazer com que o informante se morda), tu mordes (dernonstrar como a gente se morde), êle morde (veríficar se na terceira pessoa há uma forma neutra), e assim por diante. A tradução será provavelmente: eu me mordo, tu te mordes, êle se morde, etc.
  2. Possessivo. P. ex.: êle chama o seu pai (o seu próprio), chama o seu pai (o do outro) .
  3. Formas correspondentes a: aquele que morde, o que é mordido, a mordida etc. Ou (tratando-se do verbo cortar): instrumento para cortar, o que corta, o que foi cortado etc.
  4. Lugar, tempo, instrumento e modo da ação exprimem-se freqüentemente com o mesmo termo: aqui é o lugar de comer, agora é o tempo de comer etc.
  5. O comedor, comedor de cobras, comedor de gente etc.; aqui é o lugar em que êle comeu, aqui foi o lugar de comer, aqui será o nosso lugar de comer.
  6. Em geral, há uma só palavra para dizer: cabelo, folha, escamas de peixe.
This site is part of the Etnolinguistica.Org network.
Except where otherwise noted, content on this site is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.