Os advérbios na língua Kaingáng: uma proposta de descrição (Amaral & Gonçalves 2009)

Selvino Kòkàj Amaral; Solange Aparecida Gonçalves
(Professor Kaingang da T. I. de Guarita, RS; PG-IEL/Unicamp)

Neste trabalho apresentamos uma breve discussão que se divide em duas etapas: na primeira, levanta ocorrências de advérbios no Kaingang buscando uma descrição da gramática de advérbios na língua e; na segunda, trata da ordem dos advérbios na sentença e do papel que desempenham. Para o Português, Ilari et al. (1990) chamam a atenção de que os critérios gramaticais tradicionais são muitas vezes questionáveis ao se delimitar a classe de advérbios que nem sempre se pode considerar homogênea, mas antes, se deve perceber um conjunto de expressões que, segundo os autores, 'funcionam de maneira sensivelmente semelhante'. Em nossa apresentação pretendemos, então, verificar a possibilidade de se estabelecer vínculos entre as proposições para classificação dos advérbios na língua portuguesa e uma discussão dos advérbios na língua Kaingang. Em outras palavras, pretende-se verificar se critérios adotados para a interpretação desta classe em Português são também passíveis de serem utilizados para o Kaingang. Essa língua indígena que pertence à família Jê, tronco Macro-Jê é falada no Brasil Meridional (de São Paulo ao Rio Grande do Sul) por uma população de cerca de 30 mil pessoas.

(Workshop da Área de Línguas Indígenas da PG do IEL/Unicamp, 12 e 13 de novembro de 2009)

page 1 of 512345next »
This site is part of the Etnolinguistica.Org network.
Except where otherwise noted, content on this site is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.