Nimongaraí

Nimongaraí é o nome dado à cerimônia de batismo Guaraní. O termo é particularmente conhecido devido a texto homônimo em que Curt Nimuendajú descreve a cerimônia na qual foi batizado pelos Apapokúva (Nhandéva), recebendo o nome indígena pelo qual ficaria conhecido. Publicado originalmente em alemão1, o texto conta com duas traduções ao português: a primeira por Hans Peter Welper2 (2001), a segunda por Aryon Rodrigues3 (2010). Egon Schaden também passou pela cerimônia, descrevendo-a nos seguintes termos:

"Na noite de 20 a 21 de abril de 1947, na aldeia de Araribá — atual P.I. Curt Nimuendajú — fui submetido ao batismo guaraní, recebendo o nome Avanimondyiá. Na mesma aldeia, 41 anos antes, Curt Unkel recebera o nome Nimuendajú, passando pela mesma cerimônia, que o abnegado cientista caracterizou com acêrto como "algo complicada e incômoda". Compreende ela uma série de ritos e danças que se estendem por tôda uma noite, desde o pôr do sol até o seu retôrno na barra do horizonte. Complicada e incômoda, sim, mas também impressionante cerimônia, que constituiu para mim, como deve ter constítuido para Nimuendajú, uma vivência inesquecível."4

This site is part of the Etnolinguistica.Org network.
Except where otherwise noted, content on this site is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.