Anúncios

9 de junho é 'Dia de Anchieta'

(10 Jun 2017 04:44)

vasconcellos_1672_vida_de_anchieta.png

No dia 9 de junho celebra-se o 'Dia de Anchieta', em homenagem ao jesuíta (1534-1597) que desempenhou importante papel na consolidação do domínio colonial português no Brasil e autor da primeira gramática do Tupí Antigo. Trata-se, assim, de ocasião mais que oportuna para se consultar (ou revisitar) a literatura produzida por ele e sobre ele. Entre os vários trabalhos disponíveis online, a Vida do veneravel Padre Ioseph de Anchieta, de Simão de Vasconcellos (1672), é uma fonte valiosa não só sobre a vida de Anchieta, mas também sobre o Tupí Antigo e a história do Brasil, narrando, ao lado de atos de heroísmo e ternura (como o momento em que Anchieta fala com os pássaros em Tupí), episódios que ilustram o fanatismo religioso e a sanha colonialista que norteavam a atuação do 'Taumaturgo do Brasil'. Mais de três anos após sua canonização (feita pelo Papa Francisco em 3 de abril de 2014), vale a pena também reler a crônica A canonização de Anchieta: o santo do pau oco?, escrita na ocasião por José Ribamar Bessa Freire.


Diário de Emil Heinrich Snethage é publicado na Alemanha

(21 May 2017 03:35)

por Hein van der Voort

Durante sua viagem à região do Rio Guaporé (1933-1935), Emil Heinrich Snethlage escreveu um diário científico de campo, no qual ele documenta sua expedição. O livro popular de 1937, Atiko y, foi baseado neste diário, mas isso representa apenas uma fração do conteúdo do manuscrito, que contém mais de 1.000 páginas. A odisseia dos cadernos de campo, que foram preservados quase que por um milagre durante a II Guerra Mundial e na época do pós-guerra, foi descrita pela jornalista Gleice Mere no Boletim do Museu Goeldi, em 2013. Com a ajuda de Gleice Mere, o filho Rotger Snethlage se dedicou à digitação e à publicação do manuscrito original, que finalmente foi publicado em 2016 pela editora Böhlau, na Alemanha. O título original do livro em alemão é Die Guaporé-Expedition (1933–1935): Ein Forschungstagebuch ‘A expedição Guaporé (1933–1935): um diário de pesquisa’. Uma versão portuguesa do livro atualmente está sendo preparada.


Revista Tellus: Dossier Curt Nimuendajú

(25 Jun 2014 21:11)

A Revista Tellus, do Núcleo de Estudos e Pesquisas das Populações Indígenas da Universidade Católica Dom Bosco (Campo Grande, Mato Grosso do Sul), publicou em seu último número um dossiê sobre Curt Nimuendajú, organizado por ocasião do centenário da publicação de sua primeira grande obra etnográfica — Die Sagen von der Erschaffung und Vernichtung der Welt als Grundlagen der Religion der Apapocúva-Guaraní (Nimuendaju 1914):

http://www.neppi.org/projetos/tellus_detalhes.php?id=374

O dossier inclui vários artigos publicados por Nimuendajú no jornal Deutsche Zeitung (alguns dos quais permaneciam inéditos em português), além de um abrangente levantamento bibliográfico (por Peter Schröder [PDF]), análises de sua obra e várias fotos “garimpadas em arquivos públicos e particulares” por Elena Welper e Pablo Barbosa (PDF). De especial interesse linguístico é o artigo de Wolf Dietrich, ‘A língua apapokúva-guarani registrada por Nimuendajú’ (PDF).

Aos organizadores — Pablo Barbosa, Graciela Chamorro, Elena Welper e Nádia Heusi — nossos parabéns e agradecimentos por esta excelente iniciativa!


Relendo: Tarefas da lingüística no Brasil (Rodrigues 1966)

(09 May 2014 14:46)

Em 1966, Aryon Rodrigues publicava um texto seminal avaliando o estado dos estudos lingüísticos no País e delineando linhas gerais de pesquisa a serem priorizadas. Quase meio século depois, vale a pena reler "Tarefas da Lingüística no Brasil" e refletir sobre os avanços nas pesquisas em nossa área e as metas ainda por alcançar. O texto, disponível em PDF já há algum tempo, agora está também disponível em html.

Pioneiro nos estudos das línguas indígenas brasileiras, Aryon Rodrigues faleceu em Brasília no último dia 24 de abril, aos 88 anos. Servindo de introdução a sua longa e prolífica carreira, seu perfil em nosso cadastro de pesquisadores foi recentemente atualizado. Além de artigos de sua própria autoria, o perfil inclui teses e dissertações defendidas sob sua orientação, bem como entrevistas e menções a seu trabalho na imprensa.


150 perfis no cadastro de pesquisadores

(08 Sep 2011 14:03)

Nosso cadastro de pesquisadores de línguas e culturas indígenas sul-americanas acaba de atingir a marca dos 150 perfis, com o cadastramento do antropólogo Peter Schröder (UFPE). O cadastro contribui para promover a produção científica dos cadastrados e facilitar o intercâmbio de informações entre os profissionais da área. Para os que ainda não se cadastraram, basta preencher o formulário disponível aqui.


Uma maneira fácil de atualizar seu perfil no Cadastro de Pesquisadores

(03 Jun 2011 14:57)

Nosso cadastro de pesquisadores de línguas indígenas já conta com 135 perfis, representando uma boa parcela dos profissionais da área. A idéia é que seja um cadastro dinâmico, integrado aos vários recursos incluídos no site (teses, artigos, notícias, etc.) e constantemente atualizado. Justamente por isso, acabamos de adicionar uma nova opção para que os cadastrados possam atualizar seus perfis de uma maneira mais rápida e fácil:

  1. visite seu perfil
  2. clique na aba "Atualizar"
  3. preencha os campos a serem alterados e clique em "enviar"

Assim que processarmos suas informações, você receberá uma mensagem de confirmação, para garantir que as informações foram, de fato, submetidas pelo titular do perfil. E pronto!


Blog: Odair Giraldin escreve sobre o manuscrito "Cayapó e Panará" (Barbosa 1918)

(22 Mar 2011 12:30)

O blog da Biblioteca Digital Curt Nimuendaju acaba de publicar uma nota de Odair Giraldin (Universidade Federal do Tocantins) a respeito de sua pesquisa sobre os antigos Cayapó do Sul. Após obstinada peregrinação por arquivos históricos de Goiás, Minas, Mato Grosso, São Paulo e Rio de Janeiro, Odair faria uma das mais importantes descobertas de manuscritos etnográficos brasileiros no século XX — e, certamente, o mais importante achado no que diz respeito à etnografia e lingüística dos povos Jê: o manuscrito "Cayapó e Panará", de Alexandre de Souza Barbosa (1918).

O manuscrito de Barbosa (então agrimensor na cidade de Uberaba, Triângulo Mineiro) inclui um apanhado de informações históricas sobre os Cayapó do Sul e um valioso vocabulário português-Panará, com mais de 600 itens coletados em 1911 de uma anciã que era, aparentemente, a última falante fluente da língua. Tal vocabulário desempenharia papel importante na comprovação de que a língua destes índios do Triângulo Mineiro era a mesma que a falada pelos atuais Panará no norte de Mato Grosso (Rodrigues & Dourado 1993).

O relato de Odair Giraldin oferece um excelente exemplo do tipo de informação que, arquivada e esquecida em instituições diversas, aguarda o pesquisador atento e interessado. "Tudo depende de persistência, sensibilidade e paciência para procurar", escreve Odair. Digitalizado pela equipe do Núcleo de Estudos e Assuntos Indígenas da UFT, coordenado por Odair, o manuscrito pode ser baixado na Biblioteca Digital Curt Nimuendaju.


Coleção Emil Heinrich Snethlage

(10 Jan 2011 07:07)

A Coleção Emil Heinrich Snethlage disponibiliza obras do etnógrafo alemão (1897-1939), pioneiro nos estudos dos povos de Rondônia. Entre os trabalhos disponíveis incluem-se Musikinstrumente der Indianer des Guaporégebietes (1939), fonte essencial sobre a vida tradicional dos povos indígenas do rio Guaporé, e uma detalhada monografia sobre povos Jê setentrionais, Unter nordostbrasilianischen Indianern (1931).


Novo editor: Hein van der Voort

(21 Sep 2010 16:16)

Temos a satisfação de anunciar que o lingüista holandês Hein van der Voort (Radboud Universiteit Nijmegen & Museu Paraense Emílio Goeldi), especialista em línguas indígenas de Rondônia e crioulos, passa agora a integrar a nossa equipe de editores.

Além de sua dedicação à documentação e análise de línguas ameaçadas e pouco conhecidas, Hein compartilha com os Cadernos o compromisso com o livre intercâmbio de idéias (como ilustram suas iniciativas para proporcionar acesso aberto a conteúdos antes restritos). A presença de Hein na equipe de editores — que muito nos honra — constitui um passo importante no processo de amadurecimento de nosso periódico.


Cadernos de Etnolingüística: Série Monografias

(13 Sep 2010 22:03)

Acaba de ser inaugurada, com a publicação do Vocabulário Arikapú-Português (organizado por Hein van der Voort; ISBN 978-0-9846008-0-9), a Série Monografias dos Cadernos de Etnolingüística. A Série publicará, como volumes independentes, trabalhos de extensão maior que a de um artigo tradicional, tais como dicionários, esboços gramaticais ou edições anotadas de manuscritos antigos.

A Série combina as vantagens de um periódico (a seleção criteriosa por um quadro editorial qualificado) com as de um livro (como, por exemplo, a possibilidade de se publicarem volumes temáticos independentes, organizados por editores convidados; um bom exemplo seriam anais reunindo trabalhos apresentados em conferências). Cada volume da Série Monografias recebe seu próprio ISBN.

O Vocabulário Arikapú-Português, documentando o conhecimento lingüístico dos dois últimos falantes da língua (um deles, infelizmente, agora falecido), ilustra bem um dos objetivos da Série Monografias: a divulgação de resultados de pesquisa de campo com línguas pouco conhecidas e seriamente ameaçadas. Além de promover o conhecimento da língua Arikapú (tanto entre as comunidades indígenas, quanto entre pesquisadores), a divulgação de tais dados, em meio eletrônico e de acesso aberto, fornece importantes subsídios para os estudos comparativos da família Jabutí e do tronco Macro-Jê.


Volumes 1 e 3 da série ILLA agora online

(17 Aug 2010 14:35)

illa.png

Os volumes 1 (Indigenous Languages of Lowland South America, 2000) e 3 (Current Studies on South American Languages, 2002) da série ILLA (Indigenous Languages of Latin America) acabam de ser acrescentados ao nosso site (iniciativa de Hein van der Voort, um dos editores dos volumes).

São mais de 40 trabalhos, originalmente apresentados no 49º Congresso de Americanistas (Quito, 1997), no 50º Congresso de Americanistas (Varsóvia, 2000) e no Workshop on Bolivian and Rondonian Languages (Leiden, 2000).


Etnolinguistica.Org: a report from South America

(09 Apr 2010 14:00)

A seguinte nota, sobre a história, objetivos, características e planos de nosso website, foi recentemente publicada no blog Cyberling a convite de sua editora, Emily Bender (Univ. of Washington). O "post" original pode ser acessado no endereço http://cyberling.org/node/19

For the past few years, I've been part of a team involved in building an information hub on indigenous South American languages, a place to create and gather online resources for both academic researchers and the general public. The project, Etnolinguistica.Org, started in 2002 as a mailing list. The list quickly evolved into a major forum for the discussion of research topics on South American languages, the promotion of events and online resources—in sum, a meeting point for all those interested in South American linguistics and related areas.

A result of the list's popularity, the website currently comprises more than 700 pages, including conference abstracts, articles, and a comprehensive, up-to-date library of links to open-access periodicals, news articles, and other online resources. The project is community-driven, as the list's users (ranging from experienced scholars to undergraduate students) remain by far our most important sources. Since 2009, the website also publishes Cadernos de Etnolingüística (ISSN 1946-7095), a peer-reviewed, open-access online journal on South American languages.

Our most popular features, in terms of both hits and community participation, are our dissertation repository, which currently lists 165 freely-available theses and dissertations (many of which are author-submitted), and the Curt Nimuendaju Digital Library, which offers hard-to-find, out-of-print books and articles. Named after a pioneer of Brazilian ethnography and linguistics, the library includes, in addition to items digitized by its own volunteer staff or by similar projects, a number of items donated by interested readers (including authors or their heirs).

The direct participation of linguists actively involved in the documentation of South American languages is the main characteristic of Etnolinguistica.Org, contributing to keep our information relevant and accurate. To further contextualize the information we provide, we've recently started a directory of linguists working on South American indigenous languages. Each entry is an individual page containing basic information on the researcher: name, institutional affiliation, means of contact (email addresses are duly protected via ReCaptcha), interest areas, and languages of interest.

The directory is cross-referenced with our ever-growing list of online resources, in such a way that, by clicking on a given language tag, one finds not only a list of online materials, but ways of getting directly in touch with linguists working on that language as well. As a further step towards that goal, Etnolinguistica.Org will launch a catalogue of South American languages later this year (for examples, take a look here and here). That integration between authors and resources will hopefully ensure a certain measure of control, by the scientific community, over the quality of the information being provided.


Etnolingüística no Twitter

(05 Apr 2010 20:34)

Nossa conta no Twitter atingiu hoje a marca dos cem assinantes. Se você é um deles, já deve ter percebido que este é um espaço onde divulgamos as principais novidades no site e os principais acontecimentos anunciados na lista — teses defendidas recentemente (como a de Helder Perri sobre o Yanomama), material jornalístico (como a recente entrevista de Vilacy Galúcio à Rádio Ciência Hoje das Crianças), periódicos científicos (como a revista Papia, agora integralmente online) e recursos online diversos (como a Coleção Aryon Rodrigues e a disponibilização de manuscritos de Franz Caspar).

Enfim, a exemplo de nosso site, nosso espaço no Twitter ajuda a divulgar (em 140 caracteres ou menos) os notáveis avanços que vêm sendo feitos — um salto qualitativo e quantitativo resultante de décadas de dedicação (como demonstram as recentes homenagens a colegas como Lucy Seki e Adair Palácio, cujas contribuições para o progresso dos estudos etnolingüísticos são motivos de orgulho para os que se dedicam à área). Por outro lado, não se perde de vista fatos que demonstram a urgência da tarefa de documentar e estudar nossas línguas indígenas (caso do falecimento de Alberto Curuaia (Nãy), um dos últimos falantes da língua Kuruáya). Em menos de dois anos, foram quase duzentas notas ("tweets") documentando (ainda que telegraficamente) a história recente de nossa área.

Para os que ainda não são assinantes de nossa conta no Twitter, fica aí um convite — e um pedido para que ajudem a divulgar os esforços que vêm sendo feitos por um melhor conhecimento das línguas indígenas sul-americanas.


This site is part of the Etnolinguistica.Org network.
Except where otherwise noted, content on this site is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.