Guató: A língua (Schmidt 2018)

Cadernos de Etnolingüística
Série Monografias, 5, Maio/2018
ISBN ISBN 978-0-9846008-4-7

Guató: A língua

Max Schmidt; Gustavo Godoy e Kristina Balykova (prefácio); Kristina Balykova (tradução)

Indianerstudien in Zentralbrasilien (1905) é a primeira grande obra do antropólogo alemão Max Schmidt (1874-1950) sobre índios brasileiros, em que trata da região do Xingu e do Pantanal. No capítulo VIII, Schmidt apresenta uma tentativa pioneira de estudo da língua guató, hoje em dia, em vias de extinção. Além de oferecer uma análise dos sons e da morfologia da língua, apresenta um vocabulário relativamente extenso e um texto ditado pela guató Rosa, comentando sobre a chegada de um visitante. A obra na sua totalidade já foi traduzida para o português por Catharina Baratz Cannabrava (Estudos de Etnologia Brasileira, ed. Companhia Editora Nacional, 1942). Aqui apresentamos uma nova tradução do capítulo VIII, de autoria de Kristina Balykova acompanhada de um prefácio de Gustavo Godoy e da tradutora, em que reunimos informações sobre a história do povo guató, a situação atual da língua, iniciativas de revitalização, uma breve biografia de Max Schmidt, alguns apontamentos gramaticais e notas sobre a tradução. No decorrer dos dados coletados por Max Schmidt, inserimos atualizações de transcrição fonológicas e análise morfológica baseadas em estudos posteriores (como Palácio 1984 e Postigo 2009) e nos resultados do nosso trabalho de campo, realizado com os dois últimos falantes do Guató entre outubro de 2016 e agosto de 2017.

© 2009-2011 Cadernos de Etnolingüística (ISSN 1946-7095). As idéias defendidas nos artigos são de inteira responsabilidade de seus autores, não refletindo necessariamente as opiniões dos membros do corpo editorial dos Cadernos de Etnolingüística.