Contribuindo diretamente com o Centro de Documentação de Línguas Indígenas do Museu Nacional/UFRJ

#MuseuNacionalVive: Como contribuir diretamente para a reconstituição do acervo do CELIN/MN


Temos a satisfação de divulgar, por sugestão da linguista Marília Facó Soares, o lançamento de uma iniciativa institucional visando ao fortalecimento do Centro de Documentação de Línguas Indígenas (CELIN) do Museu Nacional/UFRJ. Divulgada inicialmente em 3 de julho de 2019, a iniciativa inclui as seguintes estratégias: "(i) reconstituição de acervo sob forma digital; (ii) doação de livros, periódicos, materiais linguísticos textuais, materiais em suporte físico; (iii) ajuda financeira." Segue na íntegra o texto.


NOTA SOBRE O CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO DE LÍNGUAS INDÍGENAS DO MUSEU NACIONAL/UFRJ (CELIN-MN/UFRJ)

Amigas e amigos,

Antes de tudo, o Museu Nacional Vive (#MuseuNacionalVive) e, como ele, também vive o Centro de Documentação de Línguas Indígenas do Museu Nacional – CELIN-MN/UFRJ, que é um dos pilares da Linguística no Museu Nacional/UFRJ. Para falar desse pilar, reporto-me, inicialmente, ao nosso outro pilar, o Mestrado Profissional em Linguística e Línguas Indígenas – PROFLLIND/UFRJ, pioneiro no Brasil.

Todos sabem que o meu pertencimento institucional é o Museu Nacional da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Na noite de 02 de setembro de 2018, no momento em que o prédio do Palácio do Museu Nacional era consumido pelas chamas e, com elas, uma perda incomensurável se instalava, pensei em tudo o que tínhamos, sentei-me frente ao meu computador e enviei por esta rede social uma primeira mensagem dirigida a todos. Lembro-me de ter aí me perguntado sobre o que sobrava. Pergunta a que eu mesma respondi, dizendo algo como “sobramos nós, que estamos aqui e vamos recomeçar”. Em seguida, fiz, por e-mail, uma segunda mensagem, desta vez destinada aos alunos selecionados para a Terceira Turma do Mestrado Profissional em Linguística e Línguas Indígenas (PROFLLIND – MN/UFRJ), os quais acabavam de ser selecionados e, daí a cerca de duas semanas, iriam começar as suas aulas na nossa Instituição. Eu sabia que esses alunos poderiam estar vivendo o seu próprio drama, supondo, eles próprios, talvez, que o seu Curso estaria àquela altura dos acontecimentos, também, virando fumaça, juntamente com as suas esperanças de realizar e concluir o Mestrado que haviam escolhido. Como conheço internamente a Instituição Museu Nacional, os prédios que possui e as possibilidades que se apresentavam, o teor principal da minha mensagem foi (escrevo de memória): “Nosso Curso segue como o previsto, mantemos nossas salas de aula”. Hoje sei que esta pequena mensagem de esperança - que o próprio mundo real nos permitia – foi fundamental para nossos alunos (e vários dentre eles expressaram posteriormente isso). Todos viajaram para o Rio de Janeiro, para o Museu Nacional/UFRJ, todos estão conosco. E hoje o nosso Curso está bem, obrigada. Nosso alunado é majoritariamente indígena e segue em frente, com resultados positivos e recursos. Não foi nada fácil chegar até aqui, mas chegamos. E vamos em frente. Diante do cenário nacional, isso não é pouca coisa. E hoje, se escrevo, não é propriamente sobre o nosso Mestrado. É sobre o nosso Centro de Documentação de Línguas Indígenas –CELIN-MN/UFRJ.

De existência fundamental, o CELIN-MN/UFRJ é especializado na documentação de materiais linguísticos textuais, sonoros e visuais referentes às línguas indígenas e variedades do português do Brasil. Possui o CELIN produção bibliográfica associada principalmente à Teoria Linguística, Educação Indígena, Antropologia, Arqueologia, Literatura e Filosofia. Por ser um Centro de Documentação, apresenta uma face como biblioteca e outra como arquivo. Fundamental para todos os que se ocupam de Linguística e Línguas Indígenas e com diálogos estabelecidos com outras áreas de interface, o CELIN-MN/UFRJ é um ponto forte dentro e fora do país, em face de um altíssimo número de títulos e documentos, e consulta por parte de professores, alunos, pesquisadores – indígenas e não indígenas, brasileiros, estrangeiros. Após o incêndio em 02 de setembro de 2018, elaboramos várias estratégias para seguir adiante. Entre essas, menciono aqui três: (i) reconstituição de acervo sob forma digital; (ii) doação de livros, periódicos, materiais linguísticos textuais, materiais em suporte físico; (iii) ajuda financeira. E aqui os que realmente se importam com o CELIN-MN/UFRJ podem colaborar. Indicamos a seguir os tipos de colaboração:

RECONSTITUIÇÃO DE ACERVO DO CELIN SOB FORMA DIGITAL (Reconstituição destinada ao próprio CELIN-MN/UFRJ)

Enviar a sua colaboração por e-mail diretamente para os seguintes endereços de e-mail na mesma mensagem: rb.jrfu.dca|ailiram#rb.jrfu.dca|ailiram e moc.liamg|catsircl#moc.liamg|catsircl (endereços, respectivamente, da responsável e da bibliotecária do CELIN-MN/UFRJ). Essa colaboração pode ser feita quer pelos usuários do CELIN-MN/UFRJ que digitalizaram materiais antes do incêndio de 02 de setembro de 2018, quer por todo pesquisador que, solidário com o CELIN-MN/UFRJ, queira ajudá-lo a constituir um novo acervo sob forma digital.

DOAÇÃO AO CELIN-MN/UFRJ DE LIVROS, PERIÓDICOS, MATERIAIS LINGUÍSTICOS TEXTUAIS, MATERIAIS EM SUPORTE FÍSICO (CDs/DVs, Fotografias, Mapas, Microfichas)

Realizar a sua doação pelos Correios. Assim:

Centro de Documentação de Línguas Indígenas – CELIN-MN/UFRJ –LINGUÍSTICA – Setor de Protocolo
Marília Lopes da Costa Facó Soares (responsável)
Museu Nacional - prédio da Biblioteca
Av. Gen. Herculano Gomes, s/n
Quinta da Boa Vista - São Cristóvão
Rio de Janeiro - RJ
CEP 20941-360

AJUDA FINANCEIRA AO CELIN-MUSEU NACIONAL/UFRJ:

Passo 1: fazer um depósito identificado com os seguintes dados:

Associação Amigos do Museu Nacional
Banco do Brasil (001)
Agência: 3010-4
Conta: 60618-9
CNPJ: 30024681/0001-99

Passo 2: passar um e-mail com duplo endereçamento, a saber: (i) rb.gro.nmas|lanoicanuesumsos#rb.gro.nmas|lanoicanuesumsos ; (ii) rb.jrfu.dca|ailiram#rb.jrfu.dca|ailiram

Importante: em seu e-mail, anexar o comprovante digitalizado do depósito, com o valor depositado claramente discriminado; deixar claro, no e-mail, que o depósito se dá em favor do CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO DE LÍNGUAS INDÍGENAS – MUSEU NACIONAL/UFRJ (CELIN-MN/UFRJ).

Agradecemos sinceramente a todos os que são e querem ser solidários ao CELIN-MN/UFRJ, aos que já estão colaborando e aos que vierem a colaborar. Ao mesmo tempo, aproveitamos a oportunidade para afirmar que não estamos vivendo em torno de resgate de papel queimado e de cinzas. E que não estamos fazendo parte de nenhuma iniciativa que constitua, na prática, migração virtual de um acervo do Museu Nacional para página vinculada a uma outra instituição ou diferentemente localizada, uma vez que o CELIN está vivo e é no Museu Nacional/UFRJ que se dá a sua existência.

Abraços a todas e todos,

Marília
https://www.facebook.com/marilia.soares.374/posts/10214503818534700

(05 Aug 2019 02:14)

This site is part of the Etnolinguistica.Org network.
Except where otherwise noted, content on this site is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.