Bibliografia Crítica da Etnologia Brasileira, Volume II (Baldus 1968)

A transcrição dos 1049 verbetes contidos no segundo volume da Bibliografia Crítica da Etnologia Brasileira foi concluída em janeiro de 2019. O volume inclui, ainda, 58 acréscimos (novas edições, reimpressões, etc.) referentes a items incluídos no primeiro volume.


VELLARD, J.

  • Les curares, leur préparation par les Indiens sud-américains. Journal de la Société des Américanistes, N. S., XLIV, Paris 1955, pp. 67-80.

Refere-se, em grande parte, a tribos do Brasil. Critica (pp. 74, 79 e 80) os recentes trabalhos de Frikel e Biocca (B. C. 1910 e 2167).


* * *


VELLARD, Jehan-Albert

  • La médecine indigène sud-américaine. Bulletin de la Société suisse des Américanistes, n. 31, Genève 1967, pp. 3-15, 5 figuras no texto.

Estas considerações de caráter geral sôbre a medicina dos índios sul-americanos contêm algumas referências a tribos brasileiras.


* * *


VERLINDEN, Charles

  • Paulmier de Gonneville e os índios do Brasil em 1504. Revista de História, XIX, n. 39, São Paulo 1959, pp. 3-17. Bibliografia.

Analisa os dados etnográficos contidos na "Relation authentique" dêsse navegante francês (cf. B. C., 588), referindo-se, especialmente à reedição feita por Ch. A. Julien (Les Français en Amérique pendant la première moitié du XVIe siècle. Colonies et empires. 2e sér. Les classiques de la colonisation, I, Paris 1946).


* * *


VIGNATI, Milcíades Alejo

  • Aportes iconográficos o usos y costumbres de los Indios Cainguá. Anales del Museo de la Ciudad Eva Perón, N. S., Antropología N° 2, Eva Perón 1953, 24 pp., 9 pranchas fora do texto. Bibliografia.

Reproduz trabalhos inéditos de Adolfo Methfessel feitos quando êste pintor suíço acompanhara, em 1892, Ambrosetti em sua viagem ao alto Paraná, e destinados, originalmente, a ilustrar o estudo dêste pesquisador sôbre os Kaiuá ("Cainguá"; cf. B. C., 49). Para comentar as ilustrações são utilizados, principalmente, os dados publicados por Ambrosetti.


* * *


VINCI, Alfonso

  • Samatari (Orinoco-Amazzoni). Seconda edizione. Bari 1956. 390 pp. in-8°, 5 figuras e 1 mapa no texto, 64 figuras (das quais 8 coloridas) em pranchas fora do texto, índice alfabético de nomes e matérias.

Narrativa de duas viagens realizadas pelo autor, professor de ciências naturais, em 1953 e 1955, à região fronteiriça entre a Venezuela e o Brasil a fim de visitar os Xirianá ("Shiriana", "Scirisciana") e Waiká ("Guayca"). O livro contém numerosos dados sôbre essas tribos, especialmente sôbre os "Samatari", horda xirianá da bacia do Uraricoera, bem como sôbre os "Makiritari" (Makiritare, Iekuaná, Mayongong). As pp. 351-357 apresentam material lingüístico "scirisciana".


* * *


VIVEIROS, Esther de

  • Rondon conta sua vida. Rio de Janeiro 1958, 638 pp. in-8°, 31 pranchas fora do texto.

Esta biografia tratando resumidamente das numerosas expedições do grande sertanista, contém muitas referências aos índios com que esteve em contacto.


* * *


WAGLEY, Charles [1913-]

  • The Indian Heritage of Brazil. Brazil: Portrait of Half a Continent, edited by T. Lynn Smith and Alexander Marchant. New York 1951, pp. 104-124, fig. 2 e 3, pranchas 10, 11 e 28. Bibliografia.

Neste ensaio sôbre o papel do índio na formação da cultura brasileira o autor dá, primeiro, algumas noções gerais a respeito das tribos do Brasil, sua classificação e distribuição geográfica; depois, trata especialmente dos Tupi; menciona, por fim, elementos de culturas indígenas no "mosaico cultural" dêste País. As fotos reproduzidas nas pranchas mostram tipos de Tapirapé e caboclos amazonenses bem como uma vista aérea de aldeia akue-chavante.


* * *


WAGLEY, Charles

O autor mostra como os Tapirapé, em consequência de um ataque realizado em 1947, pelos vizinhos Kaiapó, e da crescente ocupação de seu território, pelos colonos neo-brasileiros, nos anos seguintes, foram tão dispersos que deixaram de existir como unidade social até se terem reorganizado, em 1950. Assinala que durante esta breve inexistência da "sociedade" tapirapé, a "cultura" tapirapé continuava viva na mente dos dispersos, permitindo-lhes reconstruir, na primeira oportunidade, a sua vida social, embora com modificações. Vê nisso "um exemplo notável da diferença entre uma sociedade e a sua cultura" (p. 102).
Apesar do pequeno número de suas páginas, o presente trabalho é muito importante para o estudo dos problemas da aculturação.


* * *


WAGLEY, Charles

Descrevendo suas relações e experiências com o seu principal informante durante a sua estada entre os Tapirapé, o autor apresenta junto com os dados psicológicos preciosas informações sôbre diversos aspectos da cultura desta tribo tupi.


* * *


WALTER, H.

  • Geschichte, Probleme und heutiger Stand der Sambaqui-Archäologie. Baessler-Archiv, N. F., IX, Heft 1, Berlin 1961, pp. 23-71, 2 figuras, 1 mapa e 5 pranchas no texto. Bibliografia.

Afirma o autor (p. 23) que a bibliografia (pp. 56-61) contém as publicações "mais importantes" para a arqueologia sambaquiana; omite, porém, os trabalhos de Emperaire e Laming (B. C. 2109-2111), Castro Faria (B. C. 2125 e 2128), Hurt e Blasi (B. C. 2278) e Loureiro Fernandes (B. C. 2141), trabalhos êsses que merecem aquela qualificação. Assim, sua tentativa de mostrar o "estado atual" dêsse campo de pesquisas, como promete o título do presente artigo, já nasceu obsoleta. Mas é interessante sua análise da coleção organizada por H. Putzer (cf. B. C. 2537) em Santa Catarina (pp. 52-56) bem como o catálogo desta coleção (pp. 61-65) pertencente ao Museu Etnológico de Berlim.


* * *


WALTER, H. V.

  • Arqueologia da região de Lagoa Santa, Minas Gerais (Índios pré-colombianos dos abrigos-rochedos). Archaeology of the Lagoa Santa Region, Minas Gerais (Rock-shelter PreColumbian Indians). Rio de Janeiro 1958. 227 pp. in-8°, 60 figuras no texto, 1 figura (retrato do autor) fora do texto.

Esta obra bilíngüe contém dados que interessam também ao etnólogo: assim os sôbre os machados-de âncora da figura 15 e sôbre a cerâmica que parece ser guarani (figuras 43 e 44).
Convém mencionar, ainda, que o mesmo autor publicou The Pre-History of the Lagôa Santa Region (Minas Gerais), Belo Horizonte 1948, 165 pp., 71 pranchas (cf. o comentário de Virginia Watson em American Antiquity, XV, n. 2, 1949, pp. 167-168).


* * *


WASSÉN, S. Henry, and HOLMSTEDT, Bo

  • The use of paricá, an ethnological and pharmacological review. Ethnos, XXVIII, Stockholm 1963, pp. 5-45, 8 figuras no texto. Bibliografia.

Os autores reúnem e analisam os dados sôbre o costume muito difundido entre tribos das bacias do Amazonas e Orinoco de inalar um pó supostamente narcótico e tirado daquela leguminosa (Piptadenia peregrina Benth.).


* * *


WASSÉN, S. Henry

  • The use of some specific kinds of South American Indian Snuff and related Paraphernalia. With an appendix by Georg J. Seitz. Etnologiska Studier, XXVIII, Göteborg 1965, 132 pp., 65 figuras e 1 mapa no texto. Bibliografias.

Esta importante monografia sôbre o uso de pós narcóticos aspirados pelas narinas entre os índios sul-americanos e os apetrechos a êle ligados refere-se, em grande parte, ao Brasil.
O autor do apêndice dá notícia de duas diferentes espécies de pó narcótico por êle encontrado entre os mesmos Waika que já tinha visitado em viagem anterior descrita no seu livro de 1960 (B. C. 2678).
Cf. o comentário de Herbert Baldus na Revista do Museu Paulista, N. S., XVI, São Paulo 1965/66, pp. 366-367, e no Suplemento Literário d'O Estado de S. Paulo, n. 480, São Paulo 1966.
Wassén continuou tratando do assunto de sua monografia nos artigos intitulados Sydamerikanska snusdroger, separata de Nytt och Nyttigt, n. 1, 1966, 7 pp., 7 figuras no texto, Om några indianska droger och speciellt om snus samt tillbehör, Etnografiska Museets Årstryck 1963-1966, Göteborg 1967, pp. 97-140, 39 figuras e 2 mapas no texto; Anthropological Survey of the Use of South American Snuffs, Ethnopharmacologic Search for Psychoactive Drugs, Workshop Series of Pharmacology, N.I.M.H. No. 2, Washington 1967, pp. 233-289, 32 figuras e 2 mapas no texto. Bibliografia.


* * *


WATSON, Virginia

Descreve a construção hodierna de habitações kaiuá no sul de Mato Grosso, salientando as influências de aculturação que se fazem notar pela modificação da estrutura dos antigos ranchos e casas indígenas.


* * *


WELTFISH, Gene

  • The Origins of Art. Indianapolis/New York 1953. 300 pp. in-8°, 99 pranchas no texto. Bibliografia.

Êste recomendável livro sôbre as origens das artes plásticas contém dois capítulos referentes a índios do Brasil.


* * *


WERNER, Helmut

  • Gekrönte Sternbilderwesen. Ergebnisse der Vergleichenden Sternbilderkunde. Zeitschrift für Ethnologie, LXXX, Heft 1, Braunschweig 1955, pp. 116-124, 18 figuras no texto. Bibliografia.

Neste estudo comparativo de constelações em diversas culturas, há referências a constelações taulipang e bakairi.


* * *


WEYER Jr., Edward

  • Jungle Quest. New York 1955, ix, 198 pp. in-16°, 43 figuras e 3 mapas no texto.

Narrativa duma rápida visita aos Akuê-Chavante e Kamaiurá realizada pelo autor em 1953, contendo ligeiras notas a respeito destas duas tribos.


* * *


WEYER Jr., Edward

  • Primitive Peoples Today. Garden City, New York, sa. (1960). 288 pp., 212 figuras (das quais 58 em côres) em pranchas e 14 mapas no texto, índice alfabético de tribos e matérias. ― A versão francêsa saiu, sob o título Peuples primitifs d'aujourd'hui, em Paris, no ano de 1959.

Livro de divulgação cujo valor para a Etnologia Brasileira consiste, principalmente, nas fotografias dos Kaxináua, Oiana, Karajá, Akuê-Chavante e Kamaiurá.


* * *


WHEALEY, James

  • Revivescência de uma dança bakairi. Revista de Antropologia, XIV, São Paulo 1966, pp. 73-80, 3 figuras no texto.

Descrição de dança de máscaras presenciada pelo autor, em 1963, entre os Bakairi do Pôsto Simões Lopes.


* * *


WIESEMANN, Ursula

A autora trabalhou como membro do Summer Institute of Linguistics doze meses entre os Kaingang do Pôsto Indígena Rio das Cobras, Estado do Paraná. Mostra o que os têrmos traduzidos com "bom" e "mau" significam na cultura kaingang, especialmente em relação a nomes de pesoas.
O presente artigo, pequeno em tamanho, mas grande em importância, abre novas perspectivas no estudo daqueles índios.


* * *

This site is part of the Etnolinguistica.Org network.
Except where otherwise noted, content on this site is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.