Bibliografia Crítica da Etnologia Brasileira, Volume II (Baldus 1968)

A transcrição dos 1049 verbetes contidos no segundo volume da Bibliografia Crítica da Etnologia Brasileira foi concluída em janeiro de 2019. O volume inclui, ainda, 58 acréscimos (novas edições, reimpressões, etc.) referentes a items incluídos no primeiro volume.


ARNAUD, Expedito

  • A terminologia de parentesco dos índios Asurini. Revista do Museu Paulista, Nova Série, XIV, São Paulo 1963, pp. 105-119, 9 diagramas no texto, resumo em inglês. Bibliografia.

Além da nomenclatura de parentesco com tradução portuguêsa e inglêsa, o artigo contém dados demográficos a respeito dêsses Tupi.


* * *


ARNAUD, Expedito

  • Notícia sôbre os índios Gaviões de Oeste, Rio Tocantins, Pará. Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi, N. S., Antropologia, n. 20, Belém do Pará 1964, 35 pp., 3 gráficos no texto, 1 mapa e 8 figuras em pranchas fora do texto. Bibliografia.

Depois de historiar os contactos dêsses Gê com os brancos, o autor descreve ligeiramente alguns aspectos de sua cultura, baseiando-se, para isso, em dados colhidos por êle, em setembro de 1962, no "grupo-local assistido pelo Pôsto do S. P. I., situado à margem direita do rio Tocantins, quase em frente à cidade de Tucurui (antiga Alcobaça)."


* * *


ARNAUD, Expedito

  • Os índios Galibí do rio Oiapoque. Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi, N. S., Antropologia n. 30, Belém-Pará 1966, 52 pp., 1 gráfico no texto, 8 pranchas e 1 mapa fora do texto, resumo em inglês. Bibliografia.

O autor visitou em 1964 um grupo de 62 Galibi estabelecido no Território do Amapá. Trata de diversos aspectos de sua cultura.


* * *


ÁVILA, José Bastos de

  • Antropologia Física. Introdução. Prefácio de A. Fróes da Fonseca. Rio de Janeiro 1958. 324 pp. in-8°, 47 figuras no texto. Bibliografia.

As páginas 304-306 e 311-314 referem-se aos índios do Brasil.


* * *


ÁVILA, José Bastos de, e CAMPOS, João de Souza

  • Observação de um acampamento de índios Padauari e Paquidari encontrado no Rio Negro. Boletim da Sociedade de Geografia de Lisboa, série 77, ns. 7-9, Lisboa 1959, pp. 259-272, 4 figuras e 1 mapa em pranchas fora do texto, resumo em inglês.

Ligeiras notas sôbre êstes índios dos quais "mais ou menos uns 60 indivíduos" foram "encontrados acampados na margem esquerda do Rio Negro, na baía denominada do Demeni, antiga do Aracá" (p. 259). As páginas 265-271 apresentam dados somatofísicos e fisiológicos de 12 Padauari do sexo masculino e 7 do sexo feminino.


* * *


AZEVEDO, Aroldo de [1910-]

Depois de tratar resumidamente de diversos tipos de aldeias e aldeamentos de índios do Brasil, a presente contribuição à geografia urbana enumera vilas e cidades brasileiras oriundas de antigos aldeamentos.


* * *


AZEVEDO, Fernando de

  • A antropologia e a sociologia no Brasil. As Ciências no Brasil II, s. l. (Edições Melhoramentos, São Paulo), s. a. (1956), pp. 353-399, 12 figuras em pranchas fora do texto. Bibliografia.

Valiosa contribuição para o estudo da História da Etnologia Brasileira, tratando de suas principais figuras desde Pero Caminha até os hodiernos.
Cf. o comentário de Egon Schaden na Revista de Antropologia V, N. 1, São Paulo 1957, pp. 99-102.


* * *


AZEVEDO, Thales de [1904-]

  • Aculturação dirigida: notas sôbre a catequese indígena no período colonial brasileiro. Trabalhos de Antropologia e Etnologia, XVII, fasc. 1-4, Porto 1959, pp. 491-512 (resumos em francês, inglês e alemão). Bibliografia. ― Saiu também nos Anais da III Reunião Brasileira de Antropologia (1958), Recife 1959, pp. 77-98, e no livro do autor, intitulado Ensaios de Antropologia Social, Bahia 1959, pp. 33-61.

O autor desta excelente contribuição para a Antropologia Aplicada, analisando, principalmente, fontes jesuíticas, mostra que no Brasil colonial "duas ordens de situações se verificaram na história da conquista espiritual: a) a catequese no seio das tribos, b) a doutrinação e educação nas vilas e aldeias de tipo de redução. Os princípios norteadores dos dois métodos eram, em termos gerais, os mesmos mas os processos ocorrentes diferiam profundamente em si mesmos…" (p. 505). Resumindo as informações a respeito da primeira etapa do obra jesuítica entre os índios do Brasil, declara: "Vê-se que, apesar de não reconhecerem o caracter religioso de certas crenças e ritos do gentio, os Jesuítas utilizaram a favor de seus esforços a re-interpretação de cantos, danças, vestes cerimoniais, instrumentos rituais, até a personificação de entes sobrenaturais dos índios." (p. 499). Referindo-se, depois, aos aldeamentos, escreve: "Quebrados os laços com o meio natural, alterado profundamente o sistema económico, modificados os padrões de relações inter-tribais e forçada a residência numa aldeia sob disciplina e horários monótonos e rígidos ― tudo isto seria suficiente para desorganizar a estrutura social e a cultura dos aborígines; o que lhes restava já não tinha significados antigos, tanto mais que instituições, mores e valores, sistemas de prestígio e de status, regras de parentesco e de casamento haviam sido atingidos por severas restrições e proibições." (p. 501).
Cf. o comentário de Egon Schaden em Aculturação Indígena, São Paulo 1964, p. 281.


* * *


BAER, Gerhard [1934-]

  • Beiträge zur Kenntnis des Xingu-Quellgebietes. Inaugural-Dissertation zur Erlangung der Würde eines Doktors der Philosophie der Philosophisch-Historischen Fakultät der Universität Basel (1960). viii, 232 pp. de impressão fotográfica, 50 figuras e 1 mapa em pranchas fora do texto. Bibliografia.

Esta tese de doutoramento é, essencialmente, uma compilação de trechos de diversas obras referentes à cultura material das tribos da região dos formadores do Xingu, a fim de catalogar a coleção reunida pelo autor em 1955 entre aquêles índios para o Museu Etnográfico da Basiléia. Vale como livro de consulta para os estudos ergológicos da "área do ulurí".
Cf. o comentário de Egon Schaden em Aculturação Indígena, São Paulo 1964, pp. 68-69.


* * *


BAER, G., und FUERST, R.

  • Yawalapiti, Brasilien (Xingúquellgebiet): Fischfang durch Vergiften des Wassers. Encyclopaedia Cinematographica E 318/1960, Göttingen 1963, 12 pp., 2 figuras no texto. Bibliografia.

Comentando um filme que mostra a tinguijagem entre êsses Aruak, o presente folheto dá breve sinopse de sua cultura e ligeiras notas sôbre os métodos de pesca usados pelos xinguanos.


* * *


BAER, G., und FUERST, R.

  • Kalapalo, Brasilien (Xingúquellgebiet): Maniokverarbeitung, Ringkampf, Beschwörungstänze. Publikationen zu wissenschaftlichen Filmen, Band 1 B, Heft 2, Sektion B, Göttingen 1964, pp. 131-147, 4 figuras no texto. Bibliografia.

Comentários a três filmes feitos em 1955 entre êsses Karaíb do Culuene, tratando o primeiro do preparo da mandioca, o segundo do esporte de luta e o terceiro de danças.


* * *


BAER, Gerhard

  • Südamerikanische Indianer. Wildbeuter und Pflanzer. Führer durch das Museum für Völkerkunde und Schweizerische Museum für Volkskunde Basel. Sonderausstellung vom 15. ]anuar bis 30. November 1965. 35 pp. in-8°, 12 figuras e 1 mapa no texto, 24 pranchas fora do texto. Bibliografia.

Guia de uma exposição sul-americana do Museu Etnográfico da Basiléia, visando a familiarizar o visitante com culturas de captores e lavradores.
As figuras no texto são tiradas de Thevet (B. C. 1658) e se referem aos Tupinambá. Nas pranchas são representadas, entre outras, peças dos Akuê-Chavante, Aparaí, Oiana, Kadiuéu, Kalapalo, Karajá, Bororo, "Coroado" e Tapirapé.


* * *


BALDI, Mario [1896-1957] e Ruth [1911-1957]

  • Dança dos Índios, no Mato Grosso. Habitat XXXIII, São Paulo 1956, pp. 21-23, 11 figuras no texto.

Trata de danças dos Karajá, Tapirapé e Bororo.


* * *


BALDI, Mario

  • A cerâmica dos índios Carajás. Habitat XXXIV, São Paulo 1956, pp. 23-25, 10 figuras no texto.

Trata de bonecos e vasos.


* * *


BALDI, Mário e Ruth

  • Costumes dos índios. Habitat XXXVII, São Paulo 1956, pp. 44-47, 17 figuras no texto.

Estas ligeiras notas tratam, principalmente, dos Karajá, sendo dignas de nota as fotografias reproduzidas que mostram a pintura do corpo desta tribo.


* * *


BALDUS, Herbert [1899-]

  • Sinopse da História dos Kaingang paulistas. São Paulo em Quatro Séculos. Obra comemorativa organizada pelo Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo. I, São Paulo 1953, pp. 313-320. Bibliografia. ― Transcrição integral na Revista do Museu Júlio de Castilhos e Arquivo Histórico do Rio Grande do Sul, n. 8, Pôrto Alegre 1957, pp. 83-89. Bibliografia.

Trata das fontes a respeito dos Kaingang setentrionais, dos nomes sob os quais foram conhecidos, e de seus vizinhos, reunindo, ainda, dados demográficos.


* * *


BALDUS, Herbert

  • Supernatural Relations with Animais among Indians of Eastern and Southern Brazil. Proceedings of the Thirtieth International Congress of Americanists (Cambridge 1952), London s. a. (1954), pp. 195-198. Bibliografia.

Trata do costume de o caçador não comer o animal morto por êle mesmo.


* * *


BALDUS, Herbert

  • Gegenwärtiger Stand der Völkerkunde des Schingú-Gebietes. Sociologus, N. S., IV, Berlin 1954, pp. 181-185. ― Reimpresso em Südamerika, IV, Buenos Aires 1954, pp. 614-616.

Depois de frisar a contribuição dos alemães para a exploração geográfica e etnográfica do Xingu, o autor trata de publicações sôbre os índios desta região não mencionadas no Handbook of South American Indians.
Por êrro tipográfico está em Sociologus, p. 181, Emil em vez de Emilie Snethlage.


* * *


BALDUS, Herbert

  • Bibliografia comentada de Etnologia Brasileira 1943-1950). Série Bibliográfica de Estudos Brasileiros, I, Rio de Janeiro 1954, 142 pp. in-8°.

Suplemento ao Manual Bibliográfico de Estudos Brasileiros (Rio de Janeiro 1949), sendo que os 354 ítens da presente publicação (cujas provas tipográficas não foram revistas pelo autor) apareceram todos, em 1954, na Bibliografia Crítica da Etnologia Brasileira.


* * *


BALDUS, Herbert

  • Publicações sôbre os índios do Brasil nos últimos quinze anos (1939-1953). Sociologia XVI, n. 1., São Paulo 1954, pp. 56-62.

Êste trabalho indica da forma mais concentrada o que tem sido publicado, de 1939 a 1953, sôbre Etnologia Brasileira, não considerando reedições e traduções, nem publicações com apenas ligeiras referências a tribos do Brasil. É uma lista alfabética de nomes de autores, acompanhados de números que se referem aos ítens da "Bibliografia Crítica da Etnologia Brasileira" aparecida em 1954. Evitou-se dêste modo fossem repetidas as indicações bibliográficas e outros pormenores contidos nessa obra. Só poucas palavras caracterizam o conteúdo e valor de cada um dos estudos enumerados. É, portanto, uma sinopse que representa uma espécie de complemento àquela bibliografia.
Segundo o autor, "mostra êste resumo que o desenvolvimento da Sociologia está repercutindo, cada vez mais, nas pesquisas etnográficas entre os índios do Brasil. Aumenta, ràpidamente, a atenção para os problemas da aculturação. Conceitos e meios da psicologia penetram em diversos trabalhos de campo. Estudos de 'História Cultural' continuam sendo realizados por etnólogos, longe do País." Revelam estas páginas, ainda, que o interêsse científico pelo índio está aumentando no próprio Brasil (p. 62).


* * *

This site is part of the Etnolinguistica.Org network.
Except where otherwise noted, content on this site is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.