Notícia dos trabalhos lingüísticos inéditos de Curt Nimuendaju (Leite 1960)

#MuseuNacionalVive: Como contribuir diretamente para a reconstituição do acervo do CELIN/MN


A partir do artigo "Notícia dos trabalhos lingüísticos inéditos de Curt Nimuendaju", de Yonne Leite (Revista de Antropologia, v. 8, n. 2, 1960, p. 156-160), criamos uma espécie de "catálogo interativo", em que cada item descrito pela autora é fornecido em página individual, com formulário para que pesquisadores interessados forneçam informações sobre seu valor documental, a possível existência de cópias ou publicações (ainda que parciais), etc. Para acessar seções individualmente, clique nos subtítulos.

NOTÍCIA DOS TRABALHOS LINGÜÍSTICOS INÉDITOS DE CURT NIMUENDAJU
Yonne Leite
(Museu Nacional, Rio de Janeiro)

Nos arquivos do Setor Lingüístico da Divisão de Antropologia do Museu Nacional encontra-se uma série de trabalhos lingüísticos inéditos de Curt Nimuendaju, correspondente à parte especificamente lingüística do acervo adquirido pelo Museu Nacional à família do saudoso etnólogo. Êsses trabalhos serão incluídos na publicação das obras completas de Nimuendaju, que pretende o Museu Nacional encetar em associação com o Conselho Nacional de Proteção aos Índios, e a presente Notícia1 é uma preliminar de tal publicação, organizada no Setor de Lingüística, de acôrdo com as instruções do Professor J. Mattoso Camara Jr.

1. Material Lingüístico Inédito

Volume I. Vocabulários de: Apinayé, 1928-1937; Pukóbüe (Gaviões do Campo), 1929; Kre/punkatéye (Timbíra do rio Grajaú), 1929; Apányekra (Canelas Ocidentais), 1929; Rankókamekra, 1929-1936; Akuên-Xerênte, 1930-1937; Tanetehára (Guajajára), 1929; Karayá, 1929; Xukurú, 1934; Urupá, 1927; Xiriâna do rio Denemi, 1927; Dyurémawa (Kobéwa, Yibóya-Tapúya, 1927; Bahúkiwa (Kobéwa, Bahúna), 1927; Txirângo (Siriâna), 1927; Kotédya (Wanâna), 1927; Waikíno (Pirá-Tapúya), 1927; Daxséa (Tucano-Tapúya), 1927; Winá (Desâna), 1927; Epin-od (Puináve), 1927; Húbde (Makú de Yawareté), 1927; Yehúbde (Makú de Tiquié), 1927; Dóu (Makú de São Gabriel), 1927; Djewkuâna (Makiritáre), 1927; Wiraféra (Tupí do rio Machado), 1927; Itogapíd, 1927; Makují, 1921; Tembé (com material para uma gramática), 1915-1916; Aparai, 1915.

Volume II. Vocabulários de: Fulnió, 1934; Kokáma (com gramática), 1914; Wapitxâna, 1921; Ipurinân, 1922; Kapixanân, 1928; Turiwára, 1914; Parakanân (com dúvida); 1922; Kaingáng-Yakvan-Daktéye, 1909; Kaingáng (apontamentos para uma gramática), 1911; Kamakân, 1938; Pataxó, 1938; Maxakarí, 1939; Maknyanúk-Potén (Botocudo); Nakrehé (Botocudo), 1939; Aranân (Botocudo), 1939; Nakpíe (Botocudo), 1939; Minyân-yirún (Botocudo), 1939; Górotire, 1940; Grupo Lingüístico Yurúna, 1920; Ofayé-Xavânte (elementos gramaticais), s. d.; Extratos de Listas Vocabulares Perdidas: Terêna e Ivaparé (Botocudo), 1909-1912; Kayapó do Norte (Horda, Irân-Anráire), 1940; Apapokúva-Guaraní, 1906.

N. B. — Êsse material consta de dois volumes cartonados, datilografados e escritos somente no anverso. Os vocabulários são de tamanhos muito variáveis, organizados com a técnica habitual do Autor, em regra com o têrmo tradutor alemão e sempre com o têrmo indígena em transcrição fonética. Algumas listas são cópias em carbono, aparentemente retiradas de coletâneas anteriores. O trabalho sôbre o parentesco do grupo lingüístico Yurúna é um minucioso estudo, de vinte e três páginas, com um quadro estatístico de coincidências com a Língua Geral, outras línguas Tupí, Aruák, Karibe, Jê, Kirirí, Pano, Witóto e uma bibliografia.

2. Trabalhos de 1938-1939

Pataxó (lista vocabular), 1938; Kamakân (lista vocabular), 1938; Kamakân (Designações de parentesco do), 1938; Kamakân (Lendas e Narrativas), 1938; Lendas e Narrativas dos Índios da antiga aldeia Santa Rosa, 1938; Os Maxakarí (notícia etnológica), 1939; Os índios Maxakarí: relatório (com fotografias), 1939; Designações de parentesco do Maxakarí, 1939; Maxakarí (lista vocabular), 1939; índios da Bahia: fotografias, s. d.; Sôbre os Botocudos (notícia etnológica e fotografia), 1939; Aranân (Botocudo) (lista vocabular), 1939; Potên-Naknyanúk (Botocudo) (lista vocabular), 1939; Nakrehé (Botocudo) (lista vocabular), 1939; Quadros vocabulares comparativos (Botocudos), s. d.; Designações de parentesco do Poten (Botocudo), 1939.

N. B. — É um volume cartonado, sem título, datilografado e escrito somente no anverso. Todos os trabalhos estão redigidos em alemão, com exceção do relatório sôbre os índios Maxakarí, que está em português; alguns são cópias a carbono, aparentemente retiradas de coletâneas anteriores. As lendas e narrativas não trazem o texto original indígena e estão redigidas em alemão.

3. (Volume de Trabalhos, abrangendo):

I. Material lingüístico Xipáya. II. Lista vocabular do Yurúna. III. As relações do grupo Yurúna com o Tupí e outras línguas.

N. B. — É um volume cartonado, de fôlhas de papel almaço, escritas à tinta no anverso e reverso. Os trabalhos não estão datados. O têrmo tradutor e o texto são alemães.

4. (Volume de Trabalhos, abrangendo):

I. Quadro comparativo: Apinayé, Pukóbüe, Kreapínkateye, Rankókamekra, Guajajára e Xerênte, s. d. II. Tukúna (lista vocabular), 1929. III. Rankókamekra, 1933.

N. B. — É um volume cartonado, de fôlhas de papel almaço, à tinta ou a lápis, com o têrmo tradutor alemão. As partes a lápis são, aparentemente, acrescentos posteriores.

5. Kamakân, 1938

N. B. — São dois cadernos de papel almaço in quarto, a lápis, com várias páginas riscadas. Reune coletas vocabulares, observações lingüísticas e etnológicas, lendas e narrativas. Texto alemão.

6. Quadros Lingüísticos

N. B. — São cadernos de papel almaço, a lápis, à tinta ou datilografados, sem numeração e sem data, de material variadíssimo, constando quase todo de rascunhos, às vêzes confusos ou fragmentários. Texto alemão.

7. (Vocabulários não-identificados)

N. B. — Uma pasta de fôlhas soltas, a lápis, à tinta ou datilografadas, contendo rascunhos fragmentários, sem identificação suficiente. Não há datas e o têrmo tradutor é ora alemão, ora português.

8. (Vários)

N. B. — Um caderno de papel almaço in quarto, a lápis, com o têrmo tradutor e o texto ora em alemão, ora em português. Contém rascunhos variados: vocabulários, cartas, anotações sôbre uma viagem ao Purus, etc.

9. (Vocabulário não-identificado)

N. B. — É um caderno de fôlhas de papel almaço in octavo, à tinta, com o têrmo tradutor alemão ou português.

10. (Pasta de Trabalhos, abrangendo):

I. Chaves de transcrição fonética, 1938. II. Mapa de localização de índios na zona do Xingu, Araguaia, Tocantins e São Francisco, s. d. III. Lista bibliográfica do Autor, com 53 itens e, às vêzes, a apreciação sua do trabalho como ''deficiente'', 1943. IV. Árvore lingüística, reunindo Nanbikuára, Otukí, Borôro, Ofayé, Coroado, Maxakalí, Kamakân, Fulnió, Kaingáng, Jeikó, Jê, s. d.

N. B. — São fôlhas de papel almaço, datilografadas e a lápis, em alemão e em português.

11. Tabelle zur Aufnahme südamerikanischer Sprachen do Königl. Museum für Volkerkunde zu Berlin

N. B. — São anotações, a lápis, apostas à margem de muitas das páginas.

12. (Vocabulários e Notas Lingüísticas das seguintes línguas):

Kamakân, s. d.; Apinayé, s. d.; Kre/punkatéye, s. d.; Apányekra, s. d.; Akuên-Xavânte, 1930; Karayá do rio Araguaia (2 cópias), 1920; Karayá do rio Iriri e Xingu, 1917; Urupá, 1927; Gorotirí, s. d.; Kókama, 1914; Yurúna, 1920; Kirirí, s. d.; Fulnió, 1934; Pukóbüe (2 cópias), s. d.; Maxakarí, s. d.; Xukurú (2 cópias), 1934; Rankókamekra, 1929-1931, 1933 (2 cópias), 1936; Listas vocabulares da Amazônia, 1936; Línguas Yurúna-Xipáya, Kuruáya/Mundurukú, Arikên, Mawé, s. d.; Tembé (com material para uma gramática), 1916; Línguas do médio Xingu, 1920, Urupá, 1927; Turiwára, 1914; Tikúna, 1929; Baníwa e outras línguas do rio Içana, 1927; Kuruáya, s. d.; Ofayé-Xavânte, 1931; Xavânte, 1913; Mawé, 1928; Xerênte, s. d.; Vocabulários (comparados de) Makuxí, Wapitxâna, Ipurinân, Kapixanân (2 cópias), 1928; Itogapíd, 1927; Kaingáng 1944; Kaiwiâna, 1951; Parintintín, s. d.; Pataxó, s. d.; (Vocabulário não-identificado, com a nota ''não é Yurúna'', s. d.).

N. B. — Material muito variado, ora em forma de rascunho, ora com a aparência de trabalho definitivo, a lápis, à tinta ou datilografado; vários correspondem a trabalhos já arrolados, como por exemplo em 1. Alguns vocabulários apresentam, por vêzes, cópias, tendo umas o têrmo tradutor alemão, outras, português. As datas aqui apresentadas correspondem à elaboração final do trabalho, e não à época de coleta de material, que é indicada no comêço de alguns dos vocabulários. Digno de menção é um caderno de papel almaço in octavo, à tinta, texto alemão, de Contribuições para o conhecimento da língua Tembé (1916), e um caderno de papel almaço in quarto, texto português, de Material para uma gramática da língua Tembé comparada com a Guaraní do Padre Montoya (1915-1916).

13. (Caderno de Trabalhos, abrangendo):

Localização primitiva dos Tupí; (Vocabulário comparado do) Bakairí, Nahukuá, Arára, Parirí, Apiaká, Palmela, Pimenteira, Arakayú, Aparaí; (Um vocabulário não-identificado e com quase todos os itens cancelados); e um esbôço de classificação de línguas indígenas); (Quadros da distribuição de nomes de vegetais, como: mandioca, milho, tabaco); (Árvore genealógica de línguas indígenas, partindo do Makanatsí como língua-mater); (Vocabulário xirianho, de acôrdo com Nordenskiöld); (Vocabulário comparado de línguas Jê); (Mapa lingüístico do Brasil, com a distribuição das famílias em lápis colorido); (Vocabulário comparado das línguas Jê, com bibliografia para cada língua); (Vocabulário comparativo de) Botocudo, Naknanúk, Yuporók, Coroado, Purí, Koropó; (Estudo comparativo) Para a afinidade do Kaingáng; (Vocabulário comparado, aparentemente destinado a mostrar a ligação do Kuruáya com outras línguas Tupí); O parentesco Tupí do Múra; (Vocabulário comparado de línguas Tupí); Para o parentesco Tapúya-Karajá (jogando com várías línguas Jê); (Notas sôbre Turúna e Xipáya, jogando com várias línguas Tupí); Notícias sôbre o bloco do Madeira; (Notas sôbre partículas e verbos e seus empregos, de língua não-identificada (Xipáya?)); (Mapa das tribos do rio Doce); (Notas sôbre o) Parintintin; (Vocabulário) Jurúna; (Mapa da distribuição das línguas Tupí, colorido a lápis amarelo); Os Ubirajára (Notas); A posição lingüística do Mawé (com mapa); os Manayé (estudo etnográfico); Os Kayapó do Sul (estudo etnográfico); (Vocabulário) Kuruáya; Nanbikuára (estudo comparativo); (Vocabulário não-identificado, evidentemente Jê); (Vocabulário não-identificado); (Estudos etnográficos sôbre) Os Kradahó, Gorotirí, Koroá, Megbenokré, Gegé e Akroá.

N. B. — É um caderno de papel almaço, com variados e confusos rascunhos, a lápis e raramente à tinta, em texto alemão, sendo que os trabalhos se apresentam muitas vêzes salteados e interrompidos por outros. Muitos são, aparentemente, rascunhos de trabalhos publicados do Autor, como os que se referem ao Xipáya, a línguas Jê e ao Kuruáya, arrolados em A Obra Lingüística de Curt Nimuendaju do professor J. Mattoso Camara Jr. em publicação avulsa do Museu Nacional (1959).

14. (Uma série de vocabulários comparados)

N. B. — Trabalhos variados e soltos, alguns datilografados, apresentando um aspecto mais ou menos definitivo, outros, rascunhos à tinta ou a lápis. Nem sempre são coletas do Autor, havendo muitos de pesquisa secundária. Não há datas.

15. Dicionário Guaraní

N. B. — É um caderno in quarto, constando de rascunhos a lápis, com o número VIII, na capa. No final há uma carta em alemão a Georg Friederici, comentando um trabalho dêste Autor, no volume XXXIX do Globus. Têrmo tradutor alemão e sem data.

16. Aldeia dos Guaraní

N. B. — Um caderno in quarto, à tinta, com notas gramaticais e vocabulário. Não há data. Têrmo tradutor alemão.

17. Naknyanúk, 1939

N. B. — Uma página datilografada, com acrescentos a lápis, com alguns vocábulos do Potén. Têrmo tradutor alemão.

18. Pesquisa para uma divisão da língua Tupí

N. B. — Página datilografada, texto alemão, em que o Autor utiliza o pronome da primeira pessoa do singular, com critério para a designação de cada grupo. Não há data.

19. Contribuição para uma gramática da língua dos índios Coroados (Tibagi, Paraná), por Alfredo Vegmon e Curt Nimuendaju Unckel

N. B. — São fôlhas de papel almaço, datilografadas, texto português, contendo notas gramaticais e vocabulários. Num anexo, encontra-se uma estatística anual das ''Mortes causadas pelos índios Coroados no sertão do Estado de São Paulo''.

20. Arvân, 1945

N. B. — Meia página datilografada, texto português, dando uma rápida notícia dessa língua.


Divulgue esta iniciativa no Twitter e no Facebook.

(Página criada em 13 Jun 2019 03:54. Última modificação em 16 Jun 2019 03:33)

This site is part of the Etnolinguistica.Org network.
Except where otherwise noted, content on this site is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.