3628

<

>



KENSINGER, Kenneth M.
  • Banisteriopsis usage among the Peruvian Cashinahua. In Michael J. Harner (editor), Hallucinogens and shamanism. New York, Oxford University Press, 1973, pp. 9-15. Bibliografia.

O autor conclui que os Kaxináua usam o alucionógeno a fim de obter informações não acessíveis através dos canais normais da communicação, o que forma a base para a ação pessoal. Depois da ingestão de ayahuasca, os homens discutem algumas de suas experiências, particularmente as que parecem relevantes para a sociedade (abundância ou carência de alimentos, doença, morte), e podem tomar precauções, embora sempre ao nível do indivíduo e sua família imediata. O xamã recorre a ayahuasca quando falham as outras técnicas para determinar a origem de uma moléstia.

(p. 309)

This site is part of the Etnolinguistica.Org network.
Except where otherwise noted, content on this site is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.