3429

<

>



FRIKEL, Protásio
  • A mitologia solar e a filosofia de vida dos índios Kaxúyana. Tentativa de uma interpretação. Estudos sobre línguas e culturas indígenas. Edição especial. Trabalhos realizados no Brasil. Brasília, Summer Institute of Linguistics, 1971, pp. 103-142.

"O presente trabalho constitui parte resumida de um estudo maior sobre a religião e a filosofia dos índios Kaxúyana, ainda não completamente elaborado" (p. 104). Com base em material e interpretação fornecidos pelos seus informantes-xamãs, Frikel tenta a reconstrução do desenvolvimento histórico da visão do mundo da tribo karib dos rios Trombetas e Cachorro. Estabelece um período arcaico, chamado monoteísta, em que o sol era fixo, fases de transição e, finalmente o estado atual, chamado pan-dinamista ou xamanista, em que o sol se torna móvel girando em torno da terra. Os conceitos e símbolos relativos ao sol são mostrados como expressão da filosofia de vida dos Kaxúyana. Altamente interessante por suas implicações, embora um tanto cansativo pelas inúmeras repetições, o artigo se ressente de seu caráter de resumo, deixando no leitor a impressão de uma interpretação um tanto forçada dentro da linha ideológica do autor.

(p. 236)

This site is part of the Etnolinguistica.Org network.
Except where otherwise noted, content on this site is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.