2171

<

>



FRIKEL, Protásio
  • Agricultura dos índios Mundurukú. Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi, N. S., Antropologia n. 4, Belém do Pará 1959, 35 pp., 3 figuras no texto. Bibliografia.

Depois de referir-se ao que foi publicado anteriormente sôbre a lavoura dêsses índios (pp. 1-4), o autor apresenta o material a respeito por êle colhido em 1957, entre os Mundurukú da região do Cururú. Trata da "técnica da roça" (pp. 5-18), especificando os seguintes trabalhos: (1) Escolher o terreno e a qualidade da terra; (2) determinar o tamanho e a forma do novo roçado; (3) brocar o terreno; (4) derrubar a mata; (5) queimar a derruba; (6) encoivarar e queimar a coivara; (7) cavar e plantar; (8) primeira e segunda limpeza do roçado; (9) "desmanchar" o roçado (arrancar a mandioca, colher a safra); (10) replantar a roça.
Encarando, a seguir, aspectos sociais (pp. 18-29), estuda a divisão do trabalho por sexos, a questão da propriedade, o auxílio mútuo e as migrações. Encerra o importante artigo com um vocabulário português-mundurukú de têrmos referentes à roça e a plantas de cultivo (pp. 30-34).

(p. 299-303)

This site is part of the Etnolinguistica.Org network.
Except where otherwise noted, content on this site is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.