2103

<

>



DRUMOND, Carlos
  • Contribuicão do bororo à toponímia brasílica. Instituto de Estudos Brasileiros, I. São Paulo 1965. 134 pp. in-8°, 1 mapa no texto, índice alfabético dos topônimos. Bibliografia.

Nesta tese de livre-docência aprovada pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da Universidade de São Paulo, o autor chega às seguintes conclusões: "Os topônimos aqui estudados constituem o melhor elemento para a delimitação precisa do antigo território ocupado pelos Bororo, enquadrado dentro dos paralelos 15º e 18º de latitude sul e 52º e 57º de longitude oeste aproximadamente…" (p. 117). "A condição de grupo de caçadores por excelência está refletida, a nosso ver, na toponímia bororo, pois dos 55 nomes dados aos morros mais de 50 % (29) referem-se a animais, distanciando-se de modo bastante acentuado dos demais (9: vegetais; 10: aspectos diversos da cultura; 7: fontes diversas). O mesmo é válido, em linhas gerais, para os nomes dos rios, tendo em vista que dos 168 hidrônimos arrolados 78 fazem alusão a animais numa proporção de pouco menos de 50 % (32: vegetais; 13: aspectos diversos da cultura; 45: fontes diversas)." (pp. 117-118). Reafirma, ainda o parentesco lingüístico entre bororo e umutina (p. 118).

(p. 253-254)

This site is part of the Etnolinguistica.Org network.
Except where otherwise noted, content on this site is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.