1914

<

>



BISCH, Jørgen
  • True Adventure in the Green Hell of the Amazon. Across the River of Death. London 1958. 200 pp.in-16°, 24 pranchas fora do texto. - O original dinamarquês apareceu em Copenhague.

Baixo sensacionalismo onde encontramos, entre outras coisas fantasiosas, que "a cobra caiu das árvores em nossa rede de dormir" (cf. p. 37). Qualquer sertanista acharia graça lendo como o autor, navegando com ar de intrépido explorador, nas águas potáveis de um afluente do Araguaia, procura água para beber porque, como declara: "The water of the Rio Tapirape was not, but when one is tormented by thirst, one is prepared to take almost any risk." (p. 38).
Os dados sôbre os índios Tapirapé (pp. 42-49), chamados pelo autor "o povo mais preguiçoso do mundo" ("the world's laziest people") parecem referir-se, em parte, aos Karajá setentrionais que habitam a foz do rio Tapirapé, sendo, em outra parte, pura invencionice. O capítulo seguinte, intitulado "A Colony in Mortal Terror" (pp. 50-60), dramatiza boatos ouvidos em Santa Teresinha, sôbre a aproximação dos Kaiapó. Narra o autor, depois, suas aventuras com os "Awatti" (pp. 61-82), classificando-os de "perigosos" ("dangerous"), "suspeitos de terem assassinado o coronel Fawcett" (p. 62).
O resto do livro não trata de tribos do Brasil. Felizmente!

(p. 133)

This site is part of the Etnolinguistica.Org network.
Except where otherwise noted, content on this site is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.