1291

<

>



REICH, Alfred e STEGELMANN, Felix
  • Bei den Indianern des Urubamba und des Envira. Prefácio de Karl von den Steinen. Globus LXXXIII, n. 9, Braunschweig 1903, pp.133-137, 1 figura no texto.

O trabalho de Reich consiste em ligeiras notas sôbre os Kampa e Kunibo do Urubamba e em pequenas listas de palavras kampa, piro e kunibo, sendo as duas primeiras línguas, segundo Loukotka, aruak com vestígios de pano, e o kunibo um idioma pano. Uma particularidade dos Kunibo é a circuncisão das moças (p. 134). Um rapaz desta tribo produziu, na presença do autor, sons agradáveis, tocando a modo de violino, com fina vareta, um arco com corda de cêrca de trinta centímetros de comprimento. Segurou uma extremidade do arco com os dentes e a outra com a mão esquerda que, ao mesmo tempo, vibrava a única corda (p. 135).
Stegelmann menciona como habitantes do rio Envira (Embira), que forma com o Tarauaca o maior afluente do Juruá, as seguintes tribos: Jaminaua, Kaxinaua, Tauaré, Xanindaua e Kunibo. Considera-as tôdas como membros da mesma família lingüística. Trata especialmente dos Tauaré. Êstes índios costumam queimar os mortos, comendo com cada refeição um pouco da cinza (p. 137). Pequenos vocabulários dos Kaxinaua e Jaminaua acompanham o texto. Segundo o autor (p. 135), estas duas tribos pano são as mais importantes entre as mencionadas.

(p. 573)

This site is part of the Etnolinguistica.Org network.
Except where otherwise noted, content on this site is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.