1271

<

>



RAMOS, Arthur [1903-1949]
  • Introdução à Antropologia Brasileira, I, As culturas não-européias, Rio de Janeiro 1943, 540 pp. in-8.º, 11 figuras no texto, 25 pranchas, bibliografias; II, As culturas européias e os contactos raciais e culturais, Rio de Janeiro 1947, 641 pp. in-8.º, 17 figuras no texto, 26 pranchas. Bibliografias.

O autor estuda, na primeira parte do primeiro volume (p.25-289), as "culturas indígenas" e, na segunda, as "culturas negras". Depois de tratar da procedência dos índios e de sua classificação apresenta em capítulos especiais as principais famílias lingüísticas do Brasil com os seus diferentes aspectos culturais, considerando para isso, os resultados das pesquisas mais recentes. Cada capítulo é seguido de extensa bibliografia.
Não sei em que o autor se baseia para afirmar que "Baldus observou o culto do sol (Kamé) e da lua (Kadnyeru) entre os Caingang." (p. 153). Nunca observei culto dessa espécie. Errada também é a informação segundo a qual Ehrenreich visitou os Javahé e Tapirapé (p. 262).
Mas tais senões tornam-se quase insignificantes à vista do valor da presente obra como um dos melhores meios existentes para familiarizar o estudioso da Etnologia Brasileira com os assuntos em questão.
O segundo volume reproduz às páginas 480-482 dados de Julian H. Steward ("The Changing American Indian", The Science of Man in the World Crisis, New York, 1945) acêrca da diminuição dos índios no Brasil e contém um capítulo intitulado "A aculturação indígena" (pp.485-506), no qual o autor resume, ràpidamente, a história das relações entre índios e brancos neste país, destacando as atividades jesuíticas e enumerando, depois, traços das culturas índias tomados pelos neo-brasileiros.

(p. 565-566)

This site is part of the Etnolinguistica.Org network.
Except where otherwise noted, content on this site is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.