1210

<

>



PHILIPSON, J.
  • "O Parentesco tupi-guarani". Sociologia, VIII, N.º 1, São Paulo 1946. pp.53-62. ― Reedição corrigida em Bol. 63 da Fac. de Fil. C. e L. da Univ. de S. Paulo, N. 11 de Etnografia e Língua Tupi-Guarani, S. Paulo 1946.

O autor comenta o trabalho publicado sob êsse título por Wagley e Galvão, comparando a lista de têrmos tapirapé nêle contida com a que Baldus colheu em 1935, publicada poucas semanas antes do aparecimento do estudo em questão. Para discutir os designativos tapirapé e tenetehara (guajajara) apresentados por Wagley e Galvão, Philipson refere-se às interpretações lingüísticas e sociológicas por êle dadas, ao estudar o material de Baldus, na sua "Nota sôbre a interpretação sociológica etc." Por fim, refuta com vários argumentos a suposição daqueles autores de que "as tribos tupi-guarani partilham de um sistema de parentesco comum", comparável com o dos Dakota da América do Norte. Wagley e Galvão responderam no mesmo volume da mesma revista, n. 4, pp.305-308.
Cf. o comentário de George L. Trager no International Journal of American Linguistics, vol. 13, n. 4, Baltimore 1947, p. 274.

(p. 539-540)

This site is part of the Etnolinguistica.Org network.
Except where otherwise noted, content on this site is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.