1177

<

>



PALMATARY, Helen C.
  • Tapajó Pottery. Etnologiska Studier / Ethnological Studies VIII, Göteborg 1939, pp.1-136, 58 figuras no texto, 1 mapa. Bibliografia.

Alguns remanescentes dos Tapajó, tribo antigamente numerosa, sobreviveram no rio Tapajós até meados do século XVIII. Missionários que trabalharam entre êles escreveram um catecismo na sua língua o qual, porém, se perdeu. Na opinião de Nimuendajú, a necessidade dos padres escreverem um catecismo especial prova que os Tapajó não falavam tupi.
A autora estuda a olaria deixada por êsses índios e encontrada, principalmente, na cidade de Santarém, comparando-a com a cerâmica de certas regiões sul, centro e norte-americanas e demonstrando impressionantemente a alta capacidade artística duma tribo do Brasil.
Cf. o comentário de Herbert Baldus na Revista do Arquivo Municipal LXI, São Paulo 1939, p. 298.

(p. 526-527)

This site is part of the Etnolinguistica.Org network.
Except where otherwise noted, content on this site is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.