0929

<

>



MAGALHÃES, Couto de
  • O selvagem. 3.ª edição completa com o curso da língua geral tupi. Brasiliana LII, São Paulo 1935. 615 pp. in-8.º, 1 prancha com o retrato do autor. - A edição princeps apareceu no Rio de Janeiro em 1876.

Reproduz o "Ensaio de anthropologia" aparecido na Revista Trimensal do Instituto Historico, Geographico e Ethnographico do Brasil, XXXVI, parte segunda, Rio de Janeiro 1873, pp. 359-516; e "Anchieta, as raças e linguas indigenas", publicado em 1897. Além de alguns dados espalhados, relativos a diversas tribos do Brasil, são principalmente as "Lendas Tupis" que dão ainda certo valor ao presente livro para a ciência moderna. O dialeto tupi, no qual foram contadas, é a língua geral do Pará.

A edição francesa dessas lendas, feita por Émile Allain, saiu no Rio de Janeiro, em 1882, sob o título "Contes indiens du Brésil" (vi, 70 pp. in-8.º). Quase tôdas elas foram reproduzidas em alemão, na coleção de Clemens Brandenburger, intitulada "Mythen, Sagen und Marchen brasilischer Indianer", São Leopoldo, s.a., (1919). A versão italiana foi publicada por Alfonso Lomonaco em "Sulle razze indigene del Brasile" (Archivio per l'Antropologia e la Etnologia, XIX, Firenze 1889, pp. 233-26.i).

Plínio Ayrosa comentou diversas partes d"'O Selvagem" nos seus "Apontamentos para a Bibliografia da língua tupi-guarani", pp.93-96.

(p. 422)

This site is part of the Etnolinguistica.Org network.
Except where otherwise noted, content on this site is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.