0754

<

>



KOCH-GRÜNBERG, Theodor
  • Vom Roroima zum Orinoco. Ergebnisse einer Reise in Nordbrasilien und Venezuela in den Jahren 1911-1913. (in-8.º grande). I: Schilderung der Reise, Berlin 1917, x, 406 pp., 6 pranchas, 109 figuras, 1 mapa; II: Mythen und Legenden der Taulipáng- und Arekuna-Indianer, Berlin 1916 (segunda edição: Stuttgart 1924), xi, 314 pp., 6 pranchas; III: Ethnographie, Stuttgart 1923, xii, 446 pp., 66 pranchas, 16 figuras no texto, 1 mapa, notas de música e, em apêndice, um artigo sôbre música e instrumentos de música de Erich M. v. Hornbostel; TV: Sprachen, Stuttgart 1928, xii, 357 pp., 1 mapa; V: Typen-Atlas, Stuttgart 1923, 27 pp., 180 pranchas, 1 mapa. - A versão portuguêsa do segundo tomo, traduzida por Henrique Roenick, revisada por M. Cavalcanti Proença e prefaciada por Herbert Baldus, foi publicada sob o titulo "Mitos e lendas dos índios Taulipáng e Arekuná" na Revista do Museu Paulista, N. S., "VII, São Paulo 1953, pp.9-202.Abrange todo o tomo II, com exceção do pequeno prefácio (pp. v e vi) e dos textos com tradução interlinear (pp.153-255).

É a obra-prima do grande explorador. O primeiro tomo contém a descrição da viagem. Depois de subir o Rio Branco e marchar até o Roroima para estudar os Taulipang e seus vizinhos, o autor sobe o rio Uraricuera e atravessa cem enormes esforços e sacrifícios a terra incógnita até alcançar o rio Venturari e, descendo-o, o Orinoco. Na viagem pelo Uraricuera até o Venturarí são pesquisados, principalmente, os Xirianá, Waika, Iekuaná e Guinaú.

O segundo tomo encerra mitos e lendas das tribos karaíb do Roroima, em grande parte com os textos originais e a tradução interlinear, vindo a seguir um estudo comparativo. É êste tomo uma das mais importantes contribuições à mitologia sul-americana.

O terceiro tomo descreve não somente os aspectos ergológicos das tribos visitadas, como também alguns fenômenos de sua vida social e religiosa, destacando-se uma coleção de fórmulas mágicas em texto original e tradução interlinear. Tanto neste tomo como no seguinte, que é póstumo, e foi editado por Ferdinand Hestermann, o material obtido entre os Taulipag ocupa o maior espaço. Além de um vocabulário e um esbôço gramatical da língua dêstes índios, encontram-se textos no mesmo idioma e material de outras línguas karaíb, isto é, do jauarana, ingarikó, arekuná, sapará, purukotó e waiumará; das línguas aruak: baré, guinaú, piapoko, adzáneni e mandauaka, e das seguintes línguas isoladas: xirianá, auaké, kaliana, maku, puinave, guahibo e piaroa.

O quinto temo reproduz fotografias de representantes das diversas tribos investigadas, com notas sôbre a constituição física e o estado de saúde. Assim, a Antropologia Física, a Lingüística, os estudos de Religião, a Etnografia propriamente dita e a Geografia foram consideràvelmente enriquecidos com esta grandiosa obra. Em comparação, os dados sociológicos são muito menos satisfatórios, apesar de o estudo sôbre os Taulipang representar o tipo do chamado "trabalho intensivo", que é a tentativa de conhecer a fundo uma tribo, ao invés de investigar, mais ou menos superficialmente, o maior número possível de etnias, como sucede no "trabalho extensivo".

Aliás, Koch-Grünberg aplica nessa obra um método que, para mostrar seu contraste com o difusionismo, chamamos de "concêntrico", pois consiste em comparar certos traços culturais com traços correspondentes de tribos vizinhas e outras, não para averiguar a distribuição dêsses traços pelo espaço e pelo tempo, mas para compreender melhor a etnia a ser estudada, que representa o centro com o qual todos aqueles traços de outras etnias são relacionados mediante a comparação.

(p. 351)

This site is part of the Etnolinguistica.Org network.
Except where otherwise noted, content on this site is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.