0646

<

>



HERRMANN, Lucila
  • A organização social dos Vapidiana do Território do Rio Branco. Sociologia, VIII, São Paulo 1946, pp.119-134, 203-215, 282-304; IX, São Paulo 1947, pp.54-84.

Êste importantíssimo trabalho baseia-se em dados recolhidos pelo missionário beneditino D. Mauro Wirth, nos anos de 1935 a 1939, entre aquêles Aruak e em informações acêrca dos seus vizinhos da Guiana lnglêsa, publicadas pelos Schomburgk, por Koch-Grünberg, Farabee e outros autores. Foi elaborado no Seminário de Etnologia Brasileira da Escola de Sociologia e Política de São Paulo e aprovado como tese para a obtenção do grau de Mestre em Ciências pela mesma Instituição Complementar da Universidade de São Paulo. Eis o índice:

I - Introdução: Notícias históricas - Grupos dialetais - A residência: Maloca e taba. - Ciclo de vida: Infância; passagem para a vida adulta; ritos de morte.

II - Associações:

Associações por parentesco: Desintegração de associações - Regras de casamento: Endogamia tribal: Grupos isolados; grupos próximos ao território de outras tribos. - Exogamia de taba - Matrilocalidade e patrilocalidade - Matrilinearidade.

Associações por conveniência: Reuniões por sexo e idade. Divisão do trabalho. Ritos presos à vida econômica. Ritos de provar o arco e a flexa. Muchirões e especialistas.

Associações periódicas: Danças rituais; danças de empréstimo.

III - Controle Político: Controle brasileiro - Controle exercido pelos índios: Tuxáua capitão; tuxáua de taba: Origem do cargo - Causas da permanência - Causas do desprestígio atual do cargo.

IV - Sumário e problemas para novas pesquisas.

Bibliografia.

(p. 305)

This site is part of the Etnolinguistica.Org network.
Except where otherwise noted, content on this site is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.