0617

<

>



HANKE, Wanda
  • Cadivéns y Terenos. Arquivos do Museu Paranaense II, Curitiba 1942, pp.79-86, 1 prancha.

Ainda que não estejam isentas de erros e generalizações injustificáveis, estas ligeiras notas têm certo valor como informação sôbre o atual estado de aculturação das estudadas duas tribos do sul de Mato Grosso. Os "Cadivéns" são os Kaduveo ou Kadiuéo de outros autores. A língua tereno não "parece un dialecto tupí-guaraní con varias influencias ajenas", como lemos na página 81, mas é considerada aruak (cf. Herbert Baldus: "Tereno-Texte", Anthropos XXXII, Wien 1937).

A falta de preparo etnológico da autora toma-se ainda mais evidente quando ela, depois de referir-se ao comportamento daquelas tribos durante a guerra do Paraguai, escreve: "Ya en aquella época los indios arriba mencionados tenían cierta cultura". - Isto é um bom exemplo de etnocentrismo, não significando a expressão "cierta cultura" outra coisa senão certos traços da cultura européia representada pela autora.

(p. 292)

This site is part of the Etnolinguistica.Org network.
Except where otherwise noted, content on this site is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.