0295

<

>



CASCUDO, Luis da Camara
  • Geografia dos mitos brasileiros. Coleção Documentos Brasileiros, 52. Rio de Janeiro 1947. 467 pp. in-8º.

Esta obra, fruto de grande laboriosidade, constitui uma mina de dados folclóricos. Prejudicam-na, porém, inexatidões e generalizações injustificáveis. Os conhecimentos etnológicos do autor não satisfazem às exigências modernas. Sua mentalidade caracteriza-se pelo trecho seguinte: "Não é preciso recorrer-se ao padre Schmidt para admitir a universalidade da idéia de Deus, o Deus-Único, Supremo, o Urmonotheismus do sábio de St. Gabriel-Mödling bei Wien. Em tôdas as religiões primitivas há sempre um personagem abstrato, superior a todos os ídolos, inacessível às súplicas humanas, distanciado da piedade terrestre, pairando sôbre todos os ritos e sem possuir nenhum. O grande deus popular, deus intermediário, para os índios do Brasil era Juruparí que foi crismado em Diabo, o Princípio do Mal." (p. 69).

Cf. o comentário de Frederico Edelweiss na Revista do Instituo Geográfico e Histórico da Bahia, 74, 1947.

(p. 162)

This site is part of the Etnolinguistica.Org network.
Except where otherwise noted, content on this site is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.