As línguas Maxakalí e Krenák dentro do tronco Macro-Jê (Nikulin & Silva 2020)

Cadernos de Etnolingüística
volume 8, número 1, abril/2020, p. 1-64

As línguas Maxakalí e Krenák dentro do tronco Macro-Jê

Andrey Nikulin, Mário André Coelho da Silva

Neste artigo exploramos a relação entre a família linguística Maxakalí e a língua Krenák, ambas pertencentes ao tronco linguístico conhecido como Macro-Jê, bem como a relação destas línguas às demais línguas do tronco acima referido. Baseando-nos em nossos dados do Maxakalí (em parte inéditos) e da língua utilizada nos cantos rituais pelos falantes dessa língua, assim como em dados do Krenák colhidos por Thaïs Cristófaro-Silva e Lucy Seki entre as décadas de 1970 e 1980, propomos, primeiramente, uma análise da fonologia sincrônica dessas duas línguas. A partir dessa análise, apresentamos uma primeira reconstrução fonológica e lexical do Proto-Maxakalí-Krenák, além de discutirmos alguns aspectos gramaticais e morfológicos desta protolíngua. Em casos ambíguos, recorremos aos dados de outras línguas Macro-Jê a fim de preencher as lacunas na reconstrução. As evidências fonológicas, morfológicas e lexicais convergem de modo a apontar à proximidade estreita entre a família Maxakalí e a língua Krenák dentro do tronco Macro-Jê. A reconstrução das codas do Proto-Maxakalí-Krenák também nos fornece evidências adicionais favoráveis à relação genética entre os troncos Macro-Jê e Tupí.

File nameFile typeSize
vol8n1-1.pdfPDF document562.57 kBInfo
This site is part of the Etnolinguistica.Org network.
Except where otherwise noted, content on this site is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.