Línguas indígenas na mídia > 2002 e antes

A língua do Brasil
O tupi, primeiro idioma encontrado pelos portugueses no Brasil de 1500, ainda resiste no nosso vocabulário. Há pessoas querendo vê-lo até nas escolas.
Super Interessante, edição 135 (dez/1998). "No auge de sua loucura, o ultranacionalista personagem de Triste Fim de Policarpo Quaresma, livro clássico de Lima Barreto (1881-1922), conclamava seus contemporâneos a abandonar a língua portuguesa em favor do tupi. Hoje, 83 anos depois da publicação da obra, o sonho da ficção surge na realidade. O novo Policarpo é um respeitado professor e pesquisador de Letras Clássicas da Universidade de São Paulo (USP), Eduardo Navarro."

Abá nhe'enga oiebyr
O tupi ressurge em páginas de livros, telas de cinema e pode chegar às salas de aula.
Revista Galileu, ed. 89. Por Suzel Tunes. "Na medida em que se aproximam as comemorações dos 500 anos de Descobrimento do Brasil, o país volta-se às suas raízes mais profundas e redescobre, entre curioso e encantado, o seu primeiro idioma nacional: o tupi. Livros de tupi estão chegando às livrarias, cursos atraem cada vez mais estudantes. Uma recém-fundada organização não governamental, a Tupi Aqui, já propõe a inclusão do idioma no currículo do segundo grau. E, no ano que vem, o público brasileiro poderá assistir a um filme todo falado em tupi, o Hans Staden, com a participação de atores famosos como Stênio Garcia, Sérgio Mamberti e Cláudia Liz." [Entre os entrevistados está o lingüista Eduardo de Almeida Navarro, da USP.]

Amazônia: interesses e conflitos
Edição especial de ComCiência, revista eletrônica de jornalismo científico publicada pelo Laboratório de Jornalismo da Unicamp e a SBPC. Inclui o artigo 'Panorama das línguas indígenas brasileiras', de Aryon Rodrigues (UnB), e um perfil de Lucy Seki (Unicamp).

Brasil possui 180 línguas indígenas
Radiobrás, 13/10/2000. "As comunidades indígenas brasileiras falam entre 170 e 180 línguas e dialetos. Elas constam do acervo mundial de línguas, hoje em torno de seis mil. É um número considerável, levando-se em conta que a população de índios no país está entre 200 e 400 mil indivíduos. Entretanto, esse quantitativo perde a dimensão ao ser confrontado com as estimativas de línguas indígenas faladas no Brasil quando do descobrimento, mais de mil. […] Esse levantamento de línguas faladas pelas comunidades indígenas é de autoria do professor Aryon Dall'Igna Rodrigues, do Laboratório de Línguas Indígenas, da Universidade de Brasília (UnB), apontado como um dos maiores especialistas nessa área."

God is singing the song of the Piraha
BC Christian News (January issue 2001, vol. 21 #1). "Exciting things are happening among the Piraha people in the Amazonas region of Brazil. They have had missionaries work with them for years, but have given no response to the gospel — until recently."

Nossas línguas além do português
Entrevista com Aryon Rodrigues
Por Gabriela do Vale. Radiobrás, 21/jun/2002. "Aos 77 anos, Aryon D. Rodrigues é uma das maiores autoridades do país em língua indígena. […] Ele explica que embora a maioria dos brasileiros tenha a impressão de viver em um país monolíngüe, o Brasil é, na verdade, multilíngüe. Aqui existem mais de 200 línguas."

Para compreender as línguas indígenas
Artigo de Ceci Maria Aparecida Honório (UFSCar). Observatório da Imprensa, 05/jul/2000. "[…] Vamos nos centrar aqui no modo de organização de dois arquivos que, ao lado de outros não menos importantes, estão representados como centros de referência para pesquisas em línguas indígenas. Trata-se do antigo acervo de Plínio Ayrosa, atualmente incorporado ao acervo do MAE (Museu de Arqueologia e Etnologia da USP), e da Coleção Línguas Indígenas do Brasil, que hoje integra o Cedae (Centro de Documentação Cultural Alexandre Eulálio), no Instituto de Estudos da Linguagem (IEL) da Unicamp. […]"

Plurietnia e plurilingüismo no Brasil: o direito indígena à educação em sua própria língua
Entrevista de Aryon Rodrigues ao programa Tome Ciência (Rádio USP ). O arquivo sonoro está disponível no site 'Canal Ciência', do IBICT, que não deixa clara a data em que a entrevista ocorreu. Os programas foram produzidos de 1984 a 1989. O site inclui ainda vários outros programas interessantes (com temas arqueológicos, antropológicos etc.) nas seções "Amazônia e questões indígenas" e "História, filosofia, sociologia e antropologia". [Para ouvir a entrevista sem sair desta página, clique no player abaixo.]

Resgate cultural
Correio Braziliense, 23/07/2002. "Pesquisadores recuperam, através de registros lingüísticos, o cotidiano dos índios que viviam na região Amazônica há cinco mil anos. Vocabulário mostra indício de cultivo da mandioca e existência de relações familiares definidas."

Tupi or not tupi
Professor tenta salvar o ensino da língua falada no Brasil dos séculos XVI e XVII
Veja, 16/dez/1998, por Bruno Paes Manso. "Se Fernando Henrique Cardoso proferisse em Portugal a frase "Chega desse nhenhenhém neoliberal", como fez ao responder aos que criticavam seu governo, provavelmente não seria entendido. Nhenhenhém vem do tupi e quer dizer conversa jogada fora."

This site is part of the Etnolinguistica.Org network.
Except where otherwise noted, content on this site is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.